Olá leitores, tudo bem?

Algumas semanas atrás terminei de ler o livro do parceiro Saymon Cesar "A Lenda de Materyalis - As crônicas de Aliank".  A ideia do livro surgiu a partir de um fórum de RPG e esta influência é nítida durante toda a leitura.

A Lenda de Materyalis - As crônicas de Aliank (Vol. 1)
Autor: Saymon Cesar
Páginas: 239
Gênero/Ano: Fantasia/2016
Editora: Novo Século
Nota: 💙💙💙💙💙

"Com ele, também partia um pouco do amor, o mais belo de todos os sentimentos, tão necessário e raro naqueles tempo de guerra"


SINOPSE: No princípio dos tempos, as sociedades de Hedoron acreditavam nos mandamentos dos servos de Materyalis, suposto deus criador do Universo e da vida. A lenda diz que a divindade se angustiou ao observar os atos corruptíveis das suas criaturas e atribuiu a si toda a culpa da imperfeição dos povos. Sua consciência ator¬doada separou sua essência em duas entidades, criadoras de ideologias extremistas que dividiram a crença das sociedades. Assim nasceu a materja, a guerra que visa a consolidação de uma verdade entre todas as raças. Avessa ao propósito da contenda milenar, surge uma sociedade secreta, que busca o único artefato capaz de desvendar o que realmente foi Materyalis e, assim, livrar os povos da dúvida que os condenou aos intermináveis confrontos. Mas, para chegar ao obje¬tivo, é necessário usar a misteriosa aptidão de cinco indivíduos habitantes de Aliank, um reino dominado por contradições que podem apressar a ruína do mun¬do antes que a verdade sobre Materyalis seja revelada.


No ínicio, o livro é bem confuso devido a quantidade de informações que o autor nos apresenta, são muitos detalhes importantes que serão fundamentais para a compreensão da obra e desenvolvimento do nosso senso crítico e aprendizado. Sim, o livro nos leva a refletir sobre o "certo" e "errado", sobre o "existente" ou o "não existente".

Vamos a estória...

A Lenda de Materyalis nos apresentará Hedoron, mas particularmente o Reino de Aliank. Aliank é constituída por homens, elfos e mestiços, onde desde a vitória do rei Berong contra Garlak (um dagrão marilista), tornou-se um reino temido. Em Aliank predomina-se a Ideologia Teryonista. Temos outras três ideologias: Marilista, Emylista e Venirista.
Acredita-se que Materyalis, dividiu-se em duas criaturas: Materyon (Deus da benevolência), a essência do bem e que deu origem a ideologia teryonista; e Marilis (Deus maldito), a essência do mal que consequentemente deu origem a ideologia marilista. Os Emylistas desejam juntar as duas essências para restaurar o equilíbrio do mundo. Já os Veniristas desejam provar que não existe nem o bem e nem o mal.

No primeiro capítulo, uma carta destinada aos sucessores da Ideologia Venirista é apresentada e nela explica-se todos esses detalhes, também nos é apresentado um sucessor que nos contará todos os acontecimentos através de visões do sinkrorbe. O objetivo dele é encontrar o Sinkar, mas para isso é necessário que ele encontre 10 guerreiros denins dispostos à ajudá-lo a provar que todos os acontecimentos são explicados pelo acaso e não por uma dinvidade, com o propósito de cessar com a guerra ideológica que já dura séculos.

"Cometemos erros, irmãos. Ou por escolhas erradas ou por não sermos fortes o bastante para impedir  que outros nos levem a cometer o mal. Todos neste mundo são imperfeitos"


Nos capítulos seguintes conhecemos a Lady Liliel, uma elfa responsável pela cavalaria do reino; e o Lorde Sarlakros, responsável pela infantaria. Ambos são bem diferentes quanto a sua personalidade, a elfa realmente parece seguir os preceitos da ideologia teryonista, sendo misericordiosa quando necessária. Já Sarlakros é totalmente violento, a dor das outras pessoas lhe proporciona prazer. Os dois são denins (possuem certos dons ao manipular energias, o que lhes deixa poderosos) e estavam ligados ao caminho para o Sinkra.
Lady Liliel e Lorde Sarlakros são convocados pelo príncipe Edfeu para irem a região norte de Aliank e caçar um Majurk (pessoas que transformam-se em ursos, mas mantêm seus pensamentos durante a transformação) que tinham matado 12 pessoas nos últimos dias. A principal suspeita pelos crimes é Dotter Manen, uma majurk responsável por cuidar da Floresta de Majara, um lugar perigoso e extremamente fatal.
Para irem com Liliel e Salarkros são chamados os Elorkans (denins dominadores de fogo) Morhariel (humano) e Hirlun (elfo do céu). Eles dividiram-se em duplas, ficando Liliel e Hirlun; e Sarlakros e Morhariel. Cada dupla tinha uma missão diferente, ficando por responsabilidade da primeira encontrar Dotter e da segunda deter o majurk da cidade. Os 4 denins faziam parte dos planos do sinkrorbe para ajudar na localização do Sinkra.

"Aquele que permite a queda de alguns dos nossos para que se cumpra o objetivo final"


A partir da ida dos guerreiros ao norte de Aliank, começaremos a compreender que neste reino nem todos são o que parecem e que nem todos seguem os preceitos que o dizem. Teremos contato com seres capazes de controlar a mente de outros e nos depararemos com surpresas, umas agradáveis, outras nem tanto.

O autor criou um universo estritamente particular, onde os seres míticos/mágicos encantam o leitor. O livro é muito bem construído, todos os nós estão bem amarrados e percebe-se um trabalho de pesquisa árdua que foi necessário ao autor para nos passar detalhes tão relevantes e nos levar a duvidar de todos os personagens que surgem durante a trama.

O livro é claramente uma analogia as religiões que causam atualmente tantas discussões e debates árduos. O deus Materyon seria o que conhecemos apenas por Deus, já o Marilis seria o demônio. Os seguidores da ideologia Verinista seriam os ateus, aqueles que não creem no bem ou mal.
Quem está certo? Deus existe? O demônio existe? Ou não passamos de moléculas que um dia se desintegarão e não signifiicarão nada?
Cada pessoa segue a ideologia que lhe convém, eu particularmente creio na existência de um Deus que nos guia diariamente, mas devo confessar que essas dúvidas existem dentro de mim e sempre me questiono sobre todas essas relações.

A Lenda de Materyalis é uma forma de refletir sobre todos esses fatos e ao mesmo tempo nos leva a viajar em outro mundo. As cenas de lutas são descritas com precisão, o leitor consegue visualizar claramente cada cena.
Devo confessar que o final do livro me levou aos prantos, é de certa forma doloroso, comovente e inspirador. A busca pela verdade continuará e muitos outros segredos ainda serão revelados. Estou mega curiosa e ansiosa pela continuidade da série!

A edição do livro nos presentea com um mapa e informações adicionais sobre o reino e as ideologias. Acho muito precioso quando um autor preocupa-se com isto para apresentar ao leitor. Essas informações nos ajudam construir uma imagem clara do livro.

Gostaria de agradecer ao Saymon por me permitir refletir sobre tantas coisas que à algum tempo estavam adormecidas no meu interior. É sempre gratificante abrir-se a novas discussões ideológicas. Obrigada Saymon!


Redes sociais do Autor:
Site
Facebook
Instagram
Skoob do Livro


Links de compra do livro:
Novo Século
Loja Materyalis
Saraiva (livro físico custando apenas R$9,90)
Submarino
Amazon


Espero que vocês tenham sentido a essência desse livro!



Beijinhos da Lice 

8 Comentários

  1. Que bacana! Muito boa a resenha, Alice, como sempre 😄👏👏👏

    ResponderExcluir
  2. A resenha ficou muito boa, mas como eu falei, não consegui ler esse livro :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o início realmente dificulta um pouco que o leitor engate na leitura! Uma pena não ter conseguido ler :(

      Excluir
  3. Parabéns pela resenha! Minha próxima leitura!!

    ResponderExcluir
  4. Adorei sua resenha e tenho muita vontade de ler o título.
    Sucesso!
    Art of life and books

    ResponderExcluir