Olá meus gnomos, tudo bem?


A resenha de hoje é do livro "A Fada Madrinha" da parceira Kate Willians. Esse livro foi uma das minhas leituras de Janeiro (sim, estou atrasada com a resenha), mas com  correria para finalizar o projeto da Dissertação fiquei sem tempo para escrever essa resenha. Agora, vocês poderão conferir essa obra maravilhosa. Vamos lá?

A Fada Madrinha
Autora: Kate Willians
Páginas: 248
Editora: Arwen
Nota: 💙💙💙💙💙
Onde Comprar: Amazon / Arwen
*E-book cedido pela autora

SINOPSE: Uma princesa mal humorada. Um príncipe nada encantado e uma fada para lá de atrapalhada.
Isso vai terminar em casamento ou em uma grande confusão? O sonho da fada Emily sempre foi ser responsável por um “Felizes para Sempre” e ela está disposta a tudo para realizar seu sonho. A princesa Cate nunca quis o seu “Felizes para Sempre”, mas não está nada conformada com seu destino. Harry não está nem aí para o “Felizes para Sempre”, só quer se livrar da chata da Cate. Quando todos precisam trabalhar juntos para restaurar a ordem no mundo das fadas, o que era importante torna-se insignificante e grandes verdades são reveladas. Tudo com muito humor e diversão.

Olá amores,

O post de hoje é um "Primeiras Impressões". Fui convidada pela autora S. S. Days para realizar um post sobre seu novo lançamento "Sweet Desire". Então, vamos lá saber o que achei dos primeiros capítulos da obra?

Sweet Desire
Autora: S. S. Days
Páginas: 232
Editora: Independente
Onde comprar: Instagram da Autora
Skoob do livro


SINOPSE: Quando John Stanford, sócio minoritário da STD Advocacia, decide tirar férias e fazer um cruzeiro ao lado de seus amigos, não imaginava encontrar seus 3M's, se envolver ou se apaixonar. Ele também não estava ciente dos perigos envolvidos em suas escolhas. Quais serão as consequências de cada uma delas na vida de todos eles? Artistas, professores e advogados juntos em um único navio... Pode existir luxúria, desejo e sexo de forma instantânea em uma viagem alucinante como essa? Quantas surpresas os aguardam?
O doce desejo pode mudar decisões, mudar o futuro, mas todos precisam estar preparados para o que está por vir.

Olá meus amores, tudo bem?

Hoje trago uma resenha de um livro bem filosófico que tem o intuito de fazer o leitor refletir sobre a sua vida e sobre o sistema no qual está inserido. Vamos lá?

O Mendigo e o Milionário
Autor: Benoît Saint Girons
Páginas: 149
Editora: Vozes
Nota: 💙💙💙💙
Onde Comprar: Vozes / Amazon / Submarino / Saraiva
*Livro cedido em parceria com a Editora Vozes

SINOPSE: Com um texto envolvente, esta história entrelaça as vidas de Samuel, um jovem cheio de aspirações, de Jean-Jacques, um homem rico que sempre teve todos os seus desejos atendidos e de um mendigo filósofo que encanta pela sua sabedoria. A trama nos mostra que todos nós estamos cercados de pessoas extraordinárias, mas geralmente estamos ocupados demais com o nosso próprio ego. Este conto também nos lembra que nossos atos para sobreviver à lei da selva têm nos levado a cometer grandes equívocos em nossa vida e com as pessoas à nossa volta.

Olá meus amores,

Eu sei que estou bem atrasada com minhas leituras de Janeiro, mas eu tenho uma ótima desculpa. Estou fazendo meu projeto de Dissertação que deve ser entregue no início de Março, então ando muito ocupada. Inclusive estou com vários posts de resenhas e primeiras impressões atrasados, mas tenham paciência com a blogueira aqui, aos poucos tudo vai se encaixando e neste feriado de Carnaval, vou deixar tudo em dia (PROMETO).

Mas, agora vamos ver para onde viajei em Janeiro? 



Oi, pessoal. Tudo bem? Aqui é a Larissa, a escritora dos sábados. 

Esta semana, falarei de mais um livro do gênero YA, que não é simplesmente mais um livro YA. Ficaram confusos? Deixem-me explicar. Trata-se de um livro que eu conheci pela primeira vez pelo Wattpad, uma plataforma virtual de livros, quando fui colocar o meu próprio livro lá (um dia falo sobre ele aqui).

Basicamente, para resumir, o Wattpad representa o que o Youtube representa para os músicos. É a sua oportunidade de ser visto, de construir uma base de fãs e seguidores, de modo que você testa o mercado e o seu próprio texto, se preparando mais para quando publicar. 

Oi amores, tudo bem?

Hoje, na seção "Café com a Lice" trago um bate-papo com o Cláudio Almeida autor de "Gaian - O Reinício" que pertence à Saga do Infinito, ao todo serão 10 livros que irão compor a saga. Espero que vocês possam conhecer melhor a obra e o autor!

Antes, vamos conhecer um pouquinho do autor?

Biografia:
Cláudio Manoel de Almeida tem 39 anos e nasceu em Brasília. Desde cedo, ele se interessou por ideologias, simbologias, ciências, religiões e mitos. Foram os filmes, no entanto, que o levaram até o mundo de Gaian. Uma história iniciada em uma tarde de 2005 e terminada em meados de 2010. Desde então, Cláudio se dedica a histórias de fantasia e ficção científica (suas maiores paixões literárias). Gaian, o reinício é fruto da admiração de Cláudio pela criatividade e imaginação, os mais potentes combustíveis do ser humano, pois os sonhos nos fazem, os sonhos nos tornam humanos.

Oi amorecos, tudo bom?

A resenha de hoje é de um livro que foi muito bom de ler. Uma leitura leve, com poucas páginas, mas que me proporcionou várias reflexões.

Caindo na Real
Autora: Nicole Chaves
Páginas: 56
Editora: Publicação Independente
Nota: 💙💙💙
Onde Comprar: Amazon

SINOPSE: Elisa é uma adolescente religiosa que vê sua vida mudar ao descobrir que a mãe tem um câncer. Ela tenta manter a fé e o equilíbrio emocional enquanto enfrenta as dificuldades do tratamento da doença, a descoberta de que sua melhor amiga é homossexual e a revelação de que seu pai está vivo.
Determinada a obter respostas, Elisa parte em busca do pai, conseguindo o apoio inesperado de sua tia Olga. Em uma viagem pelo passado, ela descobre mais sobre a mãe e os motivos que levaram-na a omitir algumas verdades.
A Nicole adotou uma metodologia diferente para escrever. Todos os seus livros são compostos por 29 capítulos, que possuem como característica serem sempre curtinhos. Então, esse é um dos motivos pelo qual a resenha irá ficar curtinha, pois qualquer detalhe a mais tornaria-se um grande spoiler.


Olá minhas amoras,

Hoje venho apresentar a vocês a mais nova parceira do Blog: Míddian Meireles! Estou muito feliz pela oportunidade e espero retribuir esta confiança a altura!
Vamos conhecer a autora e suas obras?

Sobre a autora:
Filha única e nada mimada. Mas ainda assim era aquela menina que trocava um quarto de brinquedos por uma caneta e um papel mesmo antes de aprender a escrever. Era aquela que escrevia no diário sobre o seu dia-a-dia, mas também sobre seus medos, sonhos e desejos. Aquela que odiava Matemática, mas adorava Redação. Hoje, Mãe, esposa, amiga, viciada em maquiagem e sapatos. Aquela em que sua fiel companheira para a Insônia são os livros e por essa paixão resolveu usar a imaginação e escrever suas próprias histórias. Autora Best-seller da Amazon, com oito livros publicados, mais de 7 milhões milhões de leituras na plataforma do Wattpad.

A autora é uma máquina quando o assunto é escrever livros, então não assustem-se com a quantidade de livros que ela tem publicado. Vou apresentar cada um a vocês:

   


Oieeee gente!!!

A resenha de hoje será possivelmente uma das mais difíceis que eu já fiz, porque se trata da minha série preferida. Assim como “Desventuras em Série”, Buffy também foi um filme (ruim, diga-se de passagem) antes de virar série. E depois ainda virou série de graphic novels da Dark Horse. Muita pressão para escrever um texto que faça juz. Isso porque a série, cuja ultima temporada foi ao ar em 2003, fará 20 aninhos em 2017.

Olá meus pimpolhos (pareci bem antiga com essa frase),

A resenha de hoje é do livro "A Casa das Hostesses" da parceira Déborah Felipe. Essa foi uma daquelas leituras que em menos de 2 horas eu já tinha concluído e que ao fim meu coração estava leve e flutuando.

A Casa das Hostesses
Autora: Déborah Felipe
Páginas: 158
Editora: PenDragon
Nota: 💙💙💙💙
Onde Comprar: Amazon / Saraiva


SINOPSE: O que você faria se tudo o que planejou para a sua vida desmoronasse em um segundo? Para onde iria quando seu coração é partido e nada mais parece verdadeiro? Quem buscar quando você busca aconchego e conforto numa noite de tempestade?
As hostesses podem cuidar de você…
A Casa das Hostesses não se parece com um lugar que Souji frequentaria normalmente. A música é muito alta, as pessoas parecem menos inibidas, as luzes dançam muito rápido, as bebidas se parecem mais com poções mágicas… e as garotas… bom, ele não sabe ao certo como é que um trabalho como aquele funciona. Mas aquele lugar misterioso surgiu em seu caminho como se fosse um encontro marcado pelo Destino…
Takeshi Souji sempre conduziu sua vida sobre três pilares: seu trabalho na empresa Takeshi, que um dia será sua; seu noivado com Juury, sua namorada do colégio e seus amigos de infância. Porém, dois desses pilares desmoronam quando ele descobre que sua noiva tem um caso com seu pai, deixando-o completamente sem chão.
A Casa das Hostesses é um prédio de aparência antiga que germina como se fizesse parte do solo. Ninguém perceberia aquele lugar se não o estivesse procurando, e talvez isso faça parte de seu charme, como um lugar que sabe exatamente quem deseja conhecer a cada noite, como se fosse uma das hostesses que trabalha ali…
A todos que estão para conhecer esse novo mundo… Sejam bem-vindos à Casa das Hostesses!
Souji é um homem que a vida toda fez apenas o que o pai desejava, inclusive sua profissão foi derivada deste comando. Ele trabalha na empresa junto com seu pai. No entanto, de repente seu mundo vem à tona, ele descobre que a sua noiva Juury está traindo-o com o seu pai. Isso mesmo, o homem que deveria lhe amar tem um caso com sua noiva há quase 6 anos.
Logo após descobrir a traição, Souji vai com Yusuke, seu amigo, para "A Casa das Hostesses". Este lugar é calmo e tem o propósito de aliviar a tensão provocada durante o dia, mas as meninas que trabalham ali não são prostitutas, o objetivo do lugar é relaxar o emocional e físico, mas sem contato sexual.

É na Casa das Hostesses que Souji irá conhecer Selina, uma mulher extremamente atraente. Naquela noite, Souji vai se deixar relaxar e Selina será a responsável por fazê-lo esquecer todos os seus problemas.
Selina é uma mulher forte, que sempre teve que lutar pelo que deseja e cresceu sozinha. Ela teve uma grande decepção amorosa no dia do seu casamento e depois disso começou a trabalhar como uma Hostesses. Ela cresceu por seus próprios méritos, até alcançar a gerência da Casa e conseguir conquistar sua própria vida. Selina tem conhecimento que algumas Hostesses realizam alguns trabalhos a mais, porém ela recrimina isto veementemente e jamais fez algo do tipo. 
Porém, tudo irá mudar quando ela conhecer Souji...
A atração entre eles é nítida, ambos sentem algo no primeiro encontro.     
"A morte é muito sedutora aos que estão mais desesperados, mas ele me mostrou que sempre que as coisas ruins acontecem, logo em seguida acontece algo bom conosco"  
Souji tem um grupo de melhores amigos. Além de Yusuke, temos Akihito, Ryouji e Ryu. Os cinco amigos possuem uma espécie de irmandade que começou ainda no colegial, eles cresceram juntos, tanto na personalidade quanto na profissão. 
Os cinco jamais tinham ido na Casa das Hostesses juntos, o único que frequentava o local era Yusuke, exatamente por manter um relacionamento com Marina, uma das Hostesses. Porém, com a decepção do Souji, os amigos decidem ir juntos ao local um dia após a ida do Souji.

Chegando lá, os outros 3 são surpreendidos com belas jovens. Akihito, Ryouji e Ryu acabam atraindo-se consequentemente por Marissa, Camila e Kelly. Marissa é uma espécie de barman do local, seus drinques tem sempre algo de especial e acabam provocando os mais variados sintomas. Camila é a irmã de Selina e diferente da irmã não é uma Hostesses, apenas frequenta o lugar por causa da irmã; ela é estudante de psicologia e se orgulha muito de tudo que a irmã conquistou. E Kelly é uma morena de olhos puxados que atrai a atenção de todos os homens a sua volta pelo seu belo corpo.

A vida dos cinco amigos e das meninas mudará depois desse encontro. E muitas coisas aconteceram com Souji e Selina. Muitas pessoas não irão querê-los juntos, eles serão capaz de superar todas as dificuldades e preconceitos existentes? Será amor o que sentem ou apenas atração?
"Os dois precisavam mais do que nunca espantar seus fantasmas antes de conseguirem ser felizes"
Comecei a leitura esperando algo do livro e fui gratamente surpreendida. A primeira vista, a capa e a sinopse nos fazem imaginar uma história, mas é tudo diferente. O livro possui uma linda história de amizade e para mim, esta é a lição primordial.
Vemos a amizade em dois mundo diferentes. Os homens possuem uma situação financeira equilibrada e conseguiram isto com os anos, tudo fruto do seu trabalho. Já as meninas, não tiveram uma vida fácil, mas nem por isso não deixaram de buscar algo maior.

Os personagens principais são bem construídos, consegui me apegar tanto ao Souji quanto a Selina, os dois possuem histórias profundas e seus próprios traumas para cuidarem. E o relacionamento deles vai crescendo aos poucos, nada é de repente. Quanto aos personagens secundários, eles tão atraentes quanto os principais, acabei gostando de todos e mesmo eles não sendo tão explorados é possível conhecê-los bem.    
"O amor era mesmo um sentimento horrível"
A história não é nem um pouco linear, a todo momento ocorre alguma coisa para colocar fogo. Temos um ponto central que foi muito bem explorado, só posso dizer que temos uma pitada de suspense que fará os leitores devorar as páginas.
As últimas páginas fissuram o leitor, não consegui parar e adorei o desfecho da autora, que mesmo sendo bem amarrado nos permite sonhar com uma continuação. 
A edição da PenDragon está linda. Além de uma capa sugestiva, os capítulos são bem estruturados, contendo tamanho da letra e espaçamento excelentes. As folhas são amareladas e não encontrei nenhum erro gramatical, e isto é bem positivo.

Com uma narração em terceira pessoa o livro consegue ter uma visão geral e nos presentear com a percepção neutra de cada personagem. Com isso, a escrita da Déborah é gostosa demais. Ela consegue ser clara no que deseja passar e o leitor embarca na Casa das Hostesses junto com os personagens. Ela não possui uma escrita rebuscada, mas ao mesmo tempo também não é fula, ela sabe escrever. Espero sinceramente que ela possa presentear os leitores com uma continuação, pois contexto para isso temos.
"Quando a vida te coloca numa encruzilhada e você já não pode mais confiar no que vê ou na sua razão, você fecha os olhos e deixa que o seu coração guie seus passos para a estrada que o destino te reservou"
"A Casa das Hostesses" é um livro para quebrar paradigmas. Não sei se foi a intenção da autora abordar um assunto polêmico como as "boates" ou casas noturnas que possuem dançarinas. Mas, eu passei a ter outra visão destes locais. Muitas pessoas acabam tendo um pré-conceito com as pessoas que trabalham neste lugar, principalmente as mulheres, no entanto ninguém procura conhecer o que acontece realmente nestes lugares. 

Souji e Selina se conheceram em um momento complicado. A garota tinha determinado que nunca mais se envolveria com ninguém, o jovem tinha acabado de ser traído por duas pessoas que amava. O que no primeiro contato era apenas consolo e carinho se transformou em um sentimento mais forte e lindo. Nada na vida deles era fácil e muitas coisas movimentaram o caminho dos dois. As amizades tornaram-se fundamental neste meio, eram a base e a fórmula para levantá-los.
O amor nasceu em uma casa que é muito julgada, inclusive pelo próprio jovem. Mas ele terá que provar que é forte o suficiente para se manter vivo perante tantas dificuldades. 
Que tal conhecer "A Casa das Hostesses"?
"A Casa das Hostesses era o único lugar em que se sentia seguro nos últimos tempos, como se aquele fosse um lugar inatingível"
Queria agradecer a Déborah pela oportunidade, foi uma experiência maravilhosa abrir meus horizontes e conhecer personagens tão atraentes. Obrigada Dé!

Redes Sociais da Autora:

Beijinhos da Lice

Olá meninos e meninas!!

Tudo bem com vocês? Espero que sim, hein!!!

Gente, primeiramente, quero agradecer a todos que veem comentando nas publicações que faço aqui no blog. Fico muito feliz com cada comentário, palavra de carinho e até mesmo aqueles que se dizem meu “FÔ (Também não é para tanto, né gente?!) Antigamente eu brincava chamando meus amigos de PFÃ. (Risos). Lembrei disso quando li algumas pessoas dizendo que são meus fãs.

Vamos lá pessoal... comecei esse texto sem nada em mente, sempre espero que algo aconteça na semana para que eu use como exemplo para falar aqui para vocês. Assim foi com as publicações anteriores. E, nesse decorrer da última semana andei tão atarefado com as coisas da universidade e do perfil que administro (@caisdaleitura), que quase não tive tempo para pensar no que eu iria dizer aqui para vocês. Bom decidir ser eu, como das outras vezes. Deixar meu coração falar por mim. Gosto de usar esse espaço, que o blog me cedeu, para ter pessoas com quem compartilhar um pouco das coisas que faço e etc.

Essa semana terminei de ler a minha primeira leitura do ano que foi ‘OS 13 PORQUÊS’ de Jay Asher. Gente, esse livro eu comprei ele no fim de ano em Curitiba na livraria Saraiva e paguei R$: 70,00.
Já prevejo vocês dizendo:

“MEU DEUS PEDRO, VOCÊ TEVE CORAGEM DE PAGAR 70,00 EM UM LIVRO? EU NÃO TERIA!! EU NÃO PAGAVA!!! ESPERAVA A PRÓXIMA BLACK FRIDAY CHEGAR PARA EU PODER COMPRAR OU PEDIA EMPRESTADO, MASSS EU NÃO DAVA 70,00 NO LIVRO”

Gente, eu almejava esse livro. Era o único exemplar que tinha na livraria. Revirei Curitiba inteira para achar esse livro. Já que aqui em São Luís não tem. E não estava disposto a esperar. Eu sou assim, se tenho dinheiro eu compro. Ainda mais se for algo que eu queira muuuuuuuito.

Beleza, comprei e li atenciosamente folha por folha. Linha por linha. Afinal de contas, eu havia pagado caro pelo livro. E galera, não me arrependo!!! QUE LIVRO É ESSE?!!!!!
Os 13 porquês conta a história de uma garota, Hannah Barker, que por 13 motivos elencados por ela, a fez cometer suicídio. Assim, ao decidir tirar a própria vida, grava 7 fitas cassete contando o porquê havia tomado tal decisão e antes de cometer o ato em si coloca as fitas dentro de uma caixa de sapato e as envia pelo correio.

Clay Jensen há algumas semanas havia recebido a notícia de que Hannah, seu primeiro amor e colega de classe havia cometido suicídio e o fato o perturbava, pois até o momento não conseguia entender o porquê Hannah havia tomado tal decisão.
Um dia ao voltar para casa após a aula, encontrou uma caixa endereçada a ele sem remetente e quando a abriu encontrou as fitas. Para sua surpresa ao escutar a primeira fita se depara com a voz inconfundível de Hannah informando que se ele está na posse de tais fitas é porque ele foi um dos motivos que a levaram a cometer suicídio.

O livro me consumia todos os dias. Embora eu tenha um montão de coisas para fazer, sempre arranjava tempo para ler (Fila de ônibus, no próprio ônibus, andando, intervalo de estágio, de manhã cedo).
Recomendo a todos que leiam. Pois dia 31 de março tem estreia da série baseada no livro, na Netflix.
Falando em Netflix... especialmente, ontem, na madrugada, assisti a primeira temporada de SCREAM. Confesso que nos primeiros episódios fiquei assustado com a série. Mas fui consumido em desvendar o mistério que cercava a história.
Scream me lembrou muito a franquia de ‘Todo mundo em Pânico’, creio que deva ter alguma ligação. Pois o enredo é basicamente o mesmo. Um serial Killer com um passado terrível que mata um grupo de jovens misteriosamente. Mas nessa serie não senti tanta veia cômica como nos filmes. Me senti a Velma do Scooby doo, tentando descobrir quem era o assassino. E acertei na mosca. Aqui representa!! Foram muitos anos assistindo Scooby doo. KKKK
Nessa brincadeira fui dormir já eram 05h da manhã. Havia começado as 22h da noite anterior. Mas super recomendo a série para vocês assistirem. E espero que durmam bem. Confesso que demorei um pouco.

Hoje presenciei uma cena lastimável de puro preconceito. Uma pessoa estava vendo documentos de uma determinada pessoa e viu que a pessoa dos documentos era formada em CIÊNCIA DA RELIGIÃO, e fez um comentário nada feliz. Fiquei observando a cena e pensei ‘como pode existir pessoas preconceituosa em nosso meio? ’. As vezes comentem o ato involuntariamente, ou não. Mas isso é tema para outra publicação, no qual estou esperando a hora certa para falar. Aguardem!
Pois é gente, para terminar esse post quero que vocês fiquem com uma frase que li esses dias que diz:

“Viver é lutar. A vida é combate, que aos fracos abate, que os fortes, os bravos, Só pode exaltar"

                                                                                                                  Gonçalves Dias

Dever de casa:
Refletir na frase do titio Gonçalves Dias.
Espero que vocês tenham gostado do papo que tivemos hoje. Os aguardos nos comentários. 

Um forte abraço e grande Beijo, 
Pedro Corrêa.

Oii amores, tudo bom?

A resenha de hoje é de um dos primeiros livros que li em Janeiro, não sei o motivo pelo qual demorei tanto para escrevê-la, talvez seja porque não queria abandonar esse livro. Eu amei cada palavra, o rumo da história, é impossível não se emocionar com esse romance. Vamos a resenha?

Meu Milagre é Você
Autora: Andreia Nascimento
Páginas: 216
Nota: 💙💙💙💙💙 / Favoritado
Editora: Independente
Onde Comprar: Amazon

SINOPSE: Não podemos controlar nossos destinos. Somos apenas uma peça no jogo da vida.
Callie sofreu um acidente que a levou ao hospital. Tirou as pessoas mais importantes sua vida e como se não bastasse, apagou sua memória. Entre sofrer durante meses por suas lembranças esquecidas e conseguir seguir em frente, Callie passou por dias doloridos. Conviver com o branco na mente não foi fácil, não lembrar das últimas palavras dos pais, como foi o ensino médio ou porque ela fazia aquela viagem a deixavam com uma sensação de vazio no peito. E esses espaços em branco só podiam ser preenchidos por suas memorias inexistente. Como sempre, Calliope encontra conforto na música e a banda Perfeita Simetria parece a entender em todos os aspectos. Assim como em uma terapia, a vontade de voltar ao mundo logo surge e ela dedica seus estudos a se tornar produtora musical – a mesma carreira de seus pais – e continuar o legado de sua família. E como obra do destino, a banda precisa de uma gravadora nova. Ela vê isso como uma oportunidade de agradecer pessoalmente a banda que tanto a ajudou a superar uma fase difícil de sua vida. Mas não é apenas essa brincadeira que o destino vai fazer. Há muito mais do que músicas em seu encontro com Rafael, o cantor/compositor da banda. Há também a sensação familiar que lhe ocorre quando acontece o primeiro encontro. Há sentimentos que não podem ser apagados quando eles estão marcados como tatuagem sobre a pele.
No passado, Callie sofreu um acidente quando ainda era uma adolescente no seu último ano do colegial. Nesse acidente ela saiu perdendo muitas coisas. Seus pais faleceram e sua memória ficou perdida junto com os destroços do carro. A garota começou a ter forte dores de cabeça, que lhe levavam a um sofrimento sem interrupção. Sua vida tornou-se um grande borrão branco e vazio. Ela só tinha a sua avó e seu irmão, Derek.
Depois do acidente, a avó de Callie passou a afastar de qualquer lembrança do seu passado, ela não queria que a garota sentisse dor ou que a abandonasse. Por isso, levou-a para longe daqueles que eram seus amigos e sua antiga vida. Callie nem teve a oportunidade de saber se tinha um namorado ou uma melhor amiga...
"Você é a única memória que não poderei apagar" 
No presente nos depararemos com Rafael, o vocalista e principal compositor da Banda Perfeita Simetria. Ele está com uma grande decisão em suas mãos, voltar para a cidade na qual passou a sua adolescência e que lhe trouxe muitos traumas e um coração devastado. Ele tem na Banda os seus melhores amigos dessa época: Matt e Ramon, além de seu empresário Magno. Os meninos da banda conhecem toda a causa das suas composições, mas Magno não faz ideia do que se passa no peito do Rafa.

Callie agora é uma mulher formada e ligada ao ramo da música. Ela voltou para a sua cidade natal para tocar junto com o irmão o negócio da família, uma gravadora. Callie é apaixonada nas composições da Perfeita Simetria e gravar o álbum deles é o seu maior desejo no momento.
Ela possui um relacionamento estável com Chris, um advogado conceituado que também mudou-se para a cidade dela com o propósito de acompanhá-la.
Callie ainda tem uma vazio na sua memória, mas conseguiu reatar a amizade com a sua melhor amiga do colégio, Brenna, mas isso a muito custo, pois sua avó era veementemente contra.
A Brenna com tudo isso acabou se aproximando de Derek, e hoje eles formam um casal lindo prestes a entrar na Igreja e que estão esperando um bebê.
"Algumas coisas acontecem sem data ou hora marcada, às vezes depende de uma decisão para mudar todo o rumo da sua história"
O encontro de Rafael e Callie será intenso, a garota sentirá como se o já conhecesse e ele ficará perturbado com lembranças do passado. Sim, Rafa era namorado da Callie quando o acidente ocorreu. Mas o que pode ter acontecido que o fez se afastar dela em um momento tão delicado? Por que ele sofre por causa do sentimento que nutre por ela? Eles ainda terão uma chance de viver o que foi interrompido?
Esse livro é repleto de emoção. Um romance que te fará embarcar em uma história triste e ao mesmo tempo apaixonante. Também teremos muitas aventuras e mistérios que rondaram as páginas do livro.
É impossível não se envolver e não querer continuara ler, até o momento em que tudo fará sentido e os segredos do passado serão finalmente revelados. Porém, mesmo depois que o click for ligado, a história não ficará monótona, tudo acontece intensamente.
"Coisas boas e coisas ruins existem por um motivo. Elas fazem de você quem você é, tudo impacta em quem somos, tudo nos constrói, não só as coisas boas, mas as coisas ruins nos fortalecem, elas nos transformam em aço"
Depois do acidente a vida da Callie se transformou em uma grande mentira alimentada por todos a sua volta. No entanto, a única culpada por tudo isto é a sua avó, que sempre cuidou demais da menina, tratando-a como um cristal prestes a se despedaçar.
Callie estava se contentando com o tinha, mas a sensação de que sempre estava faltando algo era nítida dentro dela. Seu relacionamento não era um dos melhores, já estava na rotina e depois de conhecer Rafa, o que ela sentia por Chris era apenas uma pequena faísca, perto da fogueira que Rafael despertava nela.

Rafael, sem dúvidas alguma, é o melhor personagem do livro. Sério, é impossível não amar esse cara com todas as suas forças e coração. Quando você descobre tudo que ocorreu no passado e tudo que um garoto fez para a pessoa amada, é incrível. Apenas passei o livro todo desejando ter alguém assim do meu lado, ou alguém que tivesse 1% dos sentimentos do Rafa. Literalmente, ele foi criado para ser o crush literário de todas as leitoras.
"Eu perdi a menina que amava várias vezes"
A Brenna também é uma personagem muito amorzinho. A autora conseguiu construir a personalidade dela muito clara e mesmo sendo coadjuvante, ela rouba a cena. O Derek é um irmão compreensivo, que de certa forma foi manipulado pela avó, ele apenas consegue ter uma postura mais firme na companhia da Brenna.
Já a avó da Callie é um ser desprezível, essa mulher conseguiu deter toda a minha ira, juntamento com o Chris. Ele é possessivo, mesquinho e tem um espírito de porco.
Os amigos da Banda do Rafael me fizeram suspirar. O Matt é engraçado e de bem com a vida, já ouvi boatos que o próximo livro será dele. O Ramon não aparece tanto e tem uma personalidade tímida e acanhada.
Consegui me envolver com todos os personagens. E o final do livro é composto por um tiro atrás do outro. Temos tantas revelações que o leitor chega a ficar tonto com a quantidade de informações.
Confesso que gargalhei, chorei e me envolvi com a história, no final, foi como se cada personagem fosse uma parte de mim, fosse meu familiar.
"O que sinto por ele é algo que eu não posso explicar e também não quero que seja explicado, eu não preciso que tudo faça sentido, eu apenas quero ser feliz e pronto"
A escrita da Andreia é fascinante. Ela consegue ser simples, mas ser clara ao explicitar os sentimentos dos personagens.
Com capítulos narrados pelo Rafael e pela Callie, podemos perceber a evolução de ambos. Ainda temos capítulos narrados no passado e esta intercalação nos permite montar o quebra-cabeça que forma toda a história. É uma construção diferente e o leitor vai criando várias teorias durante a leitura, não consegui acertar nada haha

O livro só está disponível em e-book, então não é possível ter uma visão sobre sua diagramação. A obra possui alguns erros gramaticais e confesso que isto me perturbou muito durante a leitura, mesmo sendo coisas pequenas. Sou a louca do TOC. Porém, isso são erros comuns quando se publica de forma independente em um paz que proporciona pouco auxílio para os seus escritores.
"A parte mais difícil de se amar alguém, é ter a certeza que vai perdê-lo. Quando essa possibilidade cruza seus pensamentos, você quer esquecer, você quer fingir que isso não é realidade, mas é a única coisa que sabemos que nos resta no final"   
"Meu Milagre é Você" é um livro sobre amor e repleto de amor. Certas decisões são difíceis e muitas vezes somos obrigados a optar pelo seu amor ou pela felicidade do outro.
Rafael sempre foi altruísta e mesmo amando Callie profundamente deixou a garota ir, pois sabia que desta forma ela tinha mais chances de ter uma vida feliz. Ele deixou seu amor, mas não parou de cuidar dela. A Callie sempre sentiu falta de algo e agora quando encontrou Rafael parece que muitas coisas começam a se encaixar e fazer sentindo.
O Rafael tinha tudo para ser o milagre da Callie, mas no final você irá descobrir que o Milagre são os dois e o seu amor. O maior Milagre da vida é amar, e isso, esses dois sabem fazer muito bem!

Recomendo esta leitura para todos, não é à toa que foi o meu primeiro livro favoritado do ano *-*

Redes Sociais da Autora:
"Eu descobri que a partir daquele momento, minha vida não seria a mesma sem você nela, você se tornou essencial"


Hoje é Meu Aniversário, então já deixo vocês desejarem Feliz Aniversário para a blogueira aqui haha

Beijinhos da Lice 



Oi, gente, tudo bem? 
Esta semana vou falar de uma história que envolve cachorros babões, crianças prodígio (mas não de concursos de modelo infantil, então fiquem tranquilos), problemas de matemática e longas jornadas de carro.

O que você faria se fosse uma mãe solteira de dois filhos, que se divide em uma dupla jornada de trabalho, entre camareira durante o dia, e bar tender durante a noite, o seu marido tivesse voltado para a casa da mãe com a desculpa de estar deprimido, o filho mais velho do seu marido, um adolescente introvertido que você adotou aos 8 anos, estivesse sofrendo bullying por ser gótico, chegando a ir parar no hospital, e a sua filha, de 10,  estivesse prestes a ir pelo mesmo caminho, pois apesar de ser um doce, é um gênio da matemática com dificuldade de socialização?

 Jogue nessa mistura um cachorro aparentemente inútil, babão, com problemas de gases. E se o diretor da escola da sua filha oferecesse uma bolsa de 90% para a sua filha, para uma importante escola particular, e os 10% que faltam dependessem de a sua filha competir e vencer uma olimpíada de matemática a uma boa distância da sua casa?


Jesse Thomas está enfrentando esse problema em “Um mais um”. Se ela nunca foi rica, depois de se separar de Marty, sua situação financeira fica ainda mais complicada. Apesar de trabalhar muito e economizar cada centavo, ela consegue a duras custas manter a família bem alimentada, e os filhos na escola pública. Jesse usa sandálias de dedo na primavera, mesmo no frio, porque é otimista e acha que o tempo vai melhorar.

Nicky é o filho do primeiro casamento de Marty, ex-marido de Jesse. Adotado aos 8 anos pela Jesse, aos 16 anos, Nicky se tornou um adolescente típico: introspectivo, sarcástico, pessimista, embora inteligente, gentil e educado, além de protetor com a irmã caçula. Apanha na escola por ser gótico, e sofre bullying virtual também.  



Constanza Thomas, ou Tanzie, é a filha prodígio de Jesse, de 10 anos de idade. Tanzie é um gênio da matemática, lidando com problemas complexos muito além da sua idade. Adora usar roupas com lantejoulas e não tem malícia nem traquejo social, o que a torna alvo fácil de bullying, o que preocupa a sua mãe. Herdou o otimismo de Jesse, e tem uma ligação muito forte com Norman, o cachorro da família.




Ed Nicholls é um programador bem sucedido, recém-divorciado, que só faz suas refeições em restaurantes, e é um tanto negligente quanto à sua família. E também bastante egoísta em suas ações. Ele está enfrentando um problema judicial sério o suficiente para arriscar todo o seu patrimônio, na melhor das hipóteses. Na pior, ele pode ir parar na cadeia.

Os caminhos de Ed Nichols e Jesse Thomas se cruzam três vezes em apenas dois dias. Na terceira vez, em uma estrada a noite, quando o Rolls Royce estrupiado de Jesse é apreendido pela polícia rodoviária, enquanto ela tentava atravessar o país. Movido em parte por consciência pesada, em parte por gratidão a Jesse por um favor que ela havia feito, ele se vê oferecendo o carro conversível caríssimo e fazendo papel de motorista da família estranha (no melhor estilo eu, você e o cachorro, nessa viagem que acaba sendo longa e saindo bem cara para Ed. 

O livro escrito por Jojo Moyes é simplesmente uma leitura deliciosa. Cada um dos capítulos é narrado do ponto de vista de um dos quatro personagens, que têm vozes bem distintas. Para quem já leu “Como eu era antes de você”, já sabe que a escritora inglesa Jojo Moyes tem o dom de fazer o leitor mergulhar na história. Sua narrativa é fluida, gráfica, as descrições são ricas a ponto de você visualizar tudo o que está acontecendo na cena. É o tipo de livro ideal para se ler para cegos, no melhor sentido da expressão.

Todos os personagens têm camadas, são ricos, e fazem com que nos apaixonemos por eles. Adorei a maneira como a Jesse dava umas alfinetadas bem dadas no Ed, que era um rico muitas vezes sem noção do valor e do custo das coisas. Amei a forma como o Ed vai se mostrando um homem sensível, principalmente no trato com Nicky e Tanzie. E como a convivência dos dois vai libertando a ambos de vários preconceitos.

Nesse aspecto, a Jesse é diferente da Lou, outra protagonista de Jojo Moyes. Jess sabia muito bem o que queria. Mas precisava ser prática, e colocar a família em primeiro lugar.

O meu grau de envolvimento com o livro foi o máximo possível. Eu me vi chorando, rindo e fazendo caretas de aflição (é por isso que nunca leio livros em público. Eu sempre faço caras e bocas, que nem uma doida). O enredo tem elementos de empatia, personagens imperfeitos na medida certa (ninguém é sempre certo, nenhum personagem é completamente vilão), conversas entre mulheres que não são sobre homens (passou no teste de Bechdel, êeee) Impossível apontar um personagem preferido. Chorei muito com o Nicky e com a Tanzie.

No geral, um dos melhores livros que eu já li, nesse gênero. Não consigo achar um ponto sequer que tenha me incomodado. É realista, cria identificação com o leitor, é engraçado e dramático na medida certinha. Em outras palavras: Protagonistas envolventes + enredo convincente + momentos engraçados + cachorros babões = Um livro nota mil.
Sugestão para quem fala inglês: Baixe o áudio book e leia junto. As vozes são muito perfeitas.

Título: Um mais um
Autora: Jojo Moyes
Gênero: Romance
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 320

Classificação, de um a cinco cachorros gigantes babões.


Beijos da Lari

Olá meus amores, como estão?

Algum tempo atrás no post sobre "Materiais de Papelaria 2017" muitas pessoas ficaram surpresas por eu ter 20 anos e está no mestrado. Como eu sei que muitas pessoas estão prestes a entrar na Graduação ou Pós-graduação e possuem muitas dúvidas sobre esse ambiente, resolvi fazer esse post e mostrar minha experiência com as duas coisas. Então, vamos lá?
Eu sempre fui o tipo de pessoa que tinha muita dúvida sobre o curso superior que gostaria de estudar. Minhas opções eram as mais diversas, indo de Jornalismo a Licenciatura em Matemática (eu sei que não tem nada a ver). No final, acabei me inscrevendo no Vestibular de Logística (UPE) e Jornalismo (UFPE).
Minhas expectativas para ser aprovada eram bem escassas, pois não havia destinado tempo algum a estudos por fora e sempre estudei em escola pública. Para a minha surpresa consegui ser aprovada em Logística, ficando em segundo lugar no geral ~ pausa para uma dancinha escrota~. O resultado da Universidade Estadual saiu 4 dias antes do Vestibular da Federal e como uma boa tapada que sou acabei não indo fazer o vestibular de Jornalismo, e este é o meu maior arrependimento da vida!

Entrei na Universidade com 16 anos, era uma menina sem experiência alguma e vindo do mato, literalmente. Para mim, o ambiente era totalmente novo e as diferenças em relação ao Ensino Médio são gritantes. Para começar não temos intervalo, pelo menos eu não tinha. Eu entrava em aula às 15:00hrs e saía às 18:00hrs e sempre vendo o mesmo professor por 3 horas seguidas. Algumas vezes, tornava-se muito cansativo.
Outra diferença, é que na Graduação as coisas são bem jogadas, dificilmente você terá um professor pegando no seu pé. Já ouvi vários relatos que a grande maioria apenas jogam o assunto e estão pouco se lixando para o aprendizado do aluno (ainda bem que não passei por isso).

O curso que eu escolhi estava iniciando, era a primeira turma e como uma bela primeira turma teve muitas dificuldades. Mudamos de coordenador 3 vezes em apenas 6 meses, mas por fim a pessoa certa chegou e organizou tudo.

Minha Turma! Formandos 2015.1 
Nesse ambiente de Universidade, acho que fui abençoada, pois muitas pessoas falam que não conseguem achar amigos de verdade e eu encontrei. No primeiro dia de aula já conversei com a Bia e desde então nossa amizade apenas se concretizou e já irá fazer 4 anos.
Então, quando você entrar na graduação não se prive. Não ache que todas as pessoas estão ali para matar ou morrer, você pode sim fazer amizades e as melhores. Não deixe de aproveitar todos os momentos, participe de tudo que estiver ao seu alcance, as lembranças são as coisas mais preciosa que ficam marcadas.

Minha Best
Aula da Saudade
Quando terminei a Graduação no primeiro semestre de 2015, com 19 anos, não tinha perspectiva alguma de tentar uma vaga no Mestrado. Mais inspirada pelos maravilhosos professores que tive acabei me inscrevendo para o Mestrado de Engenharia da Produção (UFPE) faltando apenas 1 semana para as inscrições acabarem e mais uma vez fui surpreendida com uma aprovação inesperada.
Eu tive apenas 6 meses do fim da graduação e do começo no mestrado, então nesse tempo deixei minha mente o mais livre possível, estava disposta a entrar de cabeça.

Com a aprovação do Mestrado vieram muitas coisas. Fui obrigada a me mudar, pois agora iria estudar na Federal que encontra-se na Capital de Pernambuco. Essa transição foi a mais complicada, pois tudo tornou-se novo para mim, inclusive o ambiente dentro da Universidade e do curso.

Para começo de conversa, no Mestrado você não é avaliado por notas e sim por conceitos. Os conceitos vão de A a D, sendo A nota máxima e D a pior. Para ser aprovado nas disciplinas você precisa tirar B ou A. Caso tire um C, precisará necessariamente de um A para cobri-lo. Outra coisa curiosa é caso você tire dois D, já está automaticamente exonerado do curso, ou seja, gamer over.
Eu sei que de cara essa história das notas é bem confusa, foi bem difícil para mim me acostumar, mas hoje já domino o assunto.

No Mestrado a história de você estudar por fora é FUNDAMENTAL. Você precisa de outras fontes e não adianta nada estudar de última hora, isso é uma assinatura para um possível D. Grande parte dos artigos passados aos alunos são em inglês, então ter um pouco de domínio da língua é necessário, pois caso contrário irá ficar voando nas inúmeras palestras.

Alguns nesse momento podem estar se perguntando: Mais Alice, como se manter no Mestrado, principalmente você que teve que se mudar?    
Então, o mestrado oferece bolsas de estudo para a maioria dos alunos e é desse dinheiro que a grande maioria se mantêm. Na minha turma tem muitas pessoas de outros estados e países, então sem esse din din seria impossível continuar no mestrado por muito tempo. A bolsa não é tudo isso, mas quebra muito o galho.

Outra experiência bacana que o Mestrado me proporcionou foi conhecer diferentes culturas. Demorei um pouco para me acostumar com tudo, ainda sofro, mas aos poucos as coisas vão se encaixando. 
Agora estou em uma das partes mais difíceis, escrever  a Dissertação, então esse ano será dedicado a pesquisas. 
Como estarei bem ocupada, esse foi um dos motivos de trazer esses colaboradores maravilhosos, o Pedro e a Larissa. Mas fiquem tranquilos que pelo menos uma vez por semana aparecerei por aqui.

Então, estar no mestrado aos 20 anos é muito bom, pois sempre fico com aquela sensação de que se em algum momento me cansar das minhas escolhas, terei tempo para mudar e me arriscar. Gosto de não ter tanta experiência como a maioria dos meus colegas, pois o meu estágio está sendo feito através da convivência com eles. Sou apenas uma menina sim, mas acabarei esse ano com muitas histórias e novas expectativas!    

Se tiverem qualquer dúvida em relação a Graduação ou a Pós, podem deixar aí nos comentários, terei o maior prazer de responder e ajudar! 

Espero ter ajudado!

Beijinhos da Lice 

Olá meninos e meninas!!!
Tudo bem com vocês? Espero que sim. Se não estiver, calma, é uma fase.

Quero agradecer, novamente, todos que comentaram no post passado. Cresço muito com o comentário de todos, e vocês se tornaram muito especiais em minha vida. E, é por isso, que resolvi falar um pouco sobre a minha pessoa hoje. Quem é Pedro? O que ele faz? O que ele superou? O que ele sonha? O que ele come? Onde vive? Sexta no globo repórter! KKKK

Quero começar dizendo que vou além do que está escrito no meu perfil aqui no blog da Gnoma Leitora. Tenho defeitos, qualidades, assim como todo mundo. Mas também tenho uma história de vida pra contar.
Bem, vamos lá... Me chamo Pedro como todos sabem. Tenho 23 anos, sou estudante de Biblioteconomia na UFMA. E sou, também, administrador do @caisdaleitura.
Sou Paraense. Sou adotado, tenho três mães em Belém: mãe de sangue, adotiva e madrinha. O meu processo de adoção é meio complicado de se entender, mas vou tentar resumir um pouco. Minha mãe de sangue era mulher da vida, e um dos clientes dela foi meu pai. E no cabaré não podia ter crianças. Foi quando minha mãe adotiva entra na história. Com três meses de idade minha mãe adotiva vendo aquela situação resolveu me pegar para criar com a ajuda da minha madrinha. Então essas duas mulheres têm sido muito importantes na minha vida. Sempre soube da história desde pequeno, e admiro a atitude da minha mãe. Não me envergonho da minha história. Muito pelo contrário, tenho orgulho. Pois dou continuidade a ela todos os dias.

Cresci e fui criado em Belém do Pará. O sonho da minha mãe era que eu fizesse um curso de elite, para que eu pudesse ter um futuro melhor, mas o curso que escolhi foi totalmente o contrário que ela almejava que eu fizesse. Me inscrevi em Interprete Criador em Dança na UFPA, e disse que havia me inscrito em Educação Física. Mas nem imaginava que eu iria passar em Dança. E passei!! Imaginem só como foi a reação da minha mãe?! Não foi uma das melhores. Fiz o curso, me formei. Hoje faz três anos que me formei em Dança. Meu curso não é graduação, é técnico. Mas tem um peso muito grande no meio das ARTES. E sou apaixonado por dança desde quando me entendo por gente.

Na UFPA conheci um amigo que é bibliotecário, e como eu ia todo dia pra sala de aula com um livro, ele chegou comigo e perguntou se eu não queria conhecer a profissão? E me apresentou a Biblioteconomia. Fiquei encantado! E decidi que esse seria o curso que iria fazer depois de formado em Dança. E que não seria em Belém. Fiz o Enem daquele respectivo ano. Me inscrevi no SISU em Biblio aqui no Maranhão(1°OP) e no Rio(2°OP). Não contei nada pra ninguém. Fiquei calado na minha. Quando vi passei na primeira opção.

E agora? Como iria dizer pra minha família que iria sair de casa pra fazer Biblioteconomia em uma cidade, onde não tenho parentes, amigos e nada!! Não foi fácil. Tive que bater o pé, e dizer que ia atrás dos meus sonhos. Que eu precisava disso. Eu sou de uma família muito humilde, a principio não tinha dinheiro pra eu vir e ficar me mantendo. Mas uma coisa é certa, quando é pra ser, as coisas acontecem. O que fiz? Com o meu primeiro salário como professor de dança, havia comprado um notebook. Quando entrei no quarto e o avistei na mesa, pensei... É você! Comprei um jornal e fui ver quem comprava notebook. Entrei em contato com o rapaz e vendi meu note por 600,00. Detalhe, tudo isso em um dia só. Usei o dinheiro para comprar as passagens e me manter em São Luís.

Cheguei à cidade com 450,00 sem saber onde ficar, e nem onde dormir naquela noite. Apenas com um sonho na mala. Fiz minha matricula na universidade, conversei com a assistente social e expliquei minha situação. A moça simplesmente me disse “Você é doido?”, hoje em dia olho para trás e observo que sou muito doido mesmo. Cheguei de mala e cuia na universidade pra fazer minha matricula no curso que eu queria muito. Então ela resolveu me ajudar e me indicou uma casa do estudante que não era vinculado com a universidade, para que eu dormisse aquela noite. Fiquei oito meses nessa residência estudantil. Usei o dinheiro todo que eu tinha pra pagar o aluguel. Mas graças a DEUS deu tudo certo. Hoje estou indo para o 6° período. Estagio no arquivo da previdência do município. Moro na casa do estudante dentro da universidade. E não me arrependo de nada que fiz. Cresci mais ainda como pessoa. Vejo o mundo com outros olhos. Minha família? Falo com as minhas mães todos os dias. Sempre que posso ajudo financeiramente. E todos têm muito orgulho de mim.

A leitura sempre foi presente na minha vida, quando cheguei a São Luís, em 2014, os livros eram meus refugio. E assim tem sido todos os meus dias. Até que certo dia pensei em criar o CAIS DA LEITURA, mas não imaginaria que ele teria toda essa repercussão que tem hoje. Prestes a chegar aos 4K em menos de oito meses. Sem contar nos projetos e coisas boas que o IG tem-me trago. E cada navegante tem se tornado parte da minha família. São com eles, vocês, que compartilho minhas leituras, experiências de vida e etc.

Pedro, porque resolveu contar um pouco da sua história de vida?

Se vocês forem reparar falei um pouco de SUPERAÇÃO e SONHOS. Ambos os temas de post’s passados. Desde pequeno tive que superar os obstáculos da vida, sem mesmo ter noção do que era isso. E sempre lutei pelos meus sonhos. Vocês são meu sonho. Vocês fazem parte do que um dia sonhei. Ler cada comentário me enriquece mais ainda. Cada gesto de carinho me emociona muito.

O surgimento desse post aconteceu quando eu estava ouvindo uma música chamada TREM BALA de ANA VILELA. Onde ouvindo a música me identifiquei com cada verso da música. Gostaria que vocês ouvissem. Reflitam na letra. Tenho certeza que vocês vão comentar esse post depois.
Então é isso gente. Queria contar um pouco da minha história de vida pra vocês.

Beijo no coração de todos, Pedro.