Oi, gente!!!

Larissa aqui. O post de hoje é sobre um livro cuja tradução ainda nem saiu, e já está voando das prateleiras. 
"What Light" (Que luz, em inglês) foi escrito por Jay Asher, o mesmo escritor do livro/filme que está na boca do povo neste momento. “Os treze Porquês.” Mas o tom da sua mais nova obra é bem diferente.

What Light conta a história de Sierra, uma garota que tem um calendário um tanto diferente. Do dia 26 de dezembro até o feriado de Ação de graças (na última quinta de novembro) ela mora em uma fazenda em Oregon, onde ela e os pais cultivam árvores de natal. Todos os tipos de pinheiros possíveis e imagináveis. É o ofício deles. A partir do dia de ação de graças, eles fazem as malas e dão partida na motor home rumo à California, onde vão vender as árvores de Natal. Lá, ela tem outra vida, outro círculo de amigos, e trabalha e mora no trailer. A Califórnia é a sua moradia de Natal.
Porém, este ano pode ser o último ano em que Sierra em sua família “migram no inverno”. O negócio de árvores de Natal anda caído, e os pais da menina acham que será o último ano deles por lá.
Sierra já não gostava da história quando significava que poderia perder o contato com a amiga de infância, Heather. Seu desespero com a ideia de não voltar no ano seguinte agora tem outra razão de ser. Caleb, um garoto com um passado perturbador, que não consegue se perdoar, nem ser perdoado, por um erro que cometera no início da adolescência. 

Claro que os dois se apaixonam e tem que lutar contra o mundo e contra o tempo, pois o romance tem os dias contados até o natal e ninguém entende o que a garota de família viu no garoto desajustado com coração de ouro. Se você acha que já viu essa história antes, é porque provavelmente já viu. 

O mais novo livro de Jay Asher não tem a mesma agilidade de “13 porquês.” Três fatores haviam me motivado a comprá-lo: O autor, o estado do Oregon (onde eu morei) e a capa linda, de material cintilante.

A primeira coisa que me causou agonia foi o fato de os personagens se referirem aos estados sem dar nome às cidades. Eu queria saber de que cidade de Oregon eram Sierra e sua família, mas fiquei na vontade. Achei meio desrespeitoso com o leitor.

A segunda foi a falta de empatia com os personagens. Não consegui torcer por nenhum deles. A Sierra não parecia ter uma personalidade marcante. O Caleb era igual a todos os mocinhos de histórias adolescentes que eu já li. "Lindo, fofo e sombrio" Não me surpreenderia se tivesse a cara do Harry Stiles, de One Direction. As amigas da Sierra não tinham muita voz própria e era difícil distinguir entre elas. Quando a Sierra deixa uma delas na mão por causa do Caleb, eu me convenci de que nem ela se importa com as meninas, porque eu deveria? 

A terceira foi a verossimilhança. Li que o livro foi inspirado em fatos reais, por causa da história da família que migrava todo ano para vender árvores, mas o “erro” que o Caleb comete me parece bem mais preocupante do que o da Jesse em “Todos de pé para Perry Cook.” Não, eu não acho que a cidade toda deveria discriminá-lo por isso, mas é no mínimo preocupante e aponta para um transtorno maior. 

A protagonista fica falando o tempo todo para os pais confiarem nela, mas eu achei que eles foram lenientes demais. Gente, a garota tem 16 anos. Vamos analisar as escolhas amorosas de famosas garotas de 17 anos: Ariel, Bella Swan, Buffy, Larissa... ahahahaha

Concordo que seja impossível crescer sem cometer erros, e que o livro é para ser um romance sobre o perdão, mas uma coisa é deixar o seu filho cair da bicicleta, outra bem diferente é deixar ele andar de stand up paddle no meio de corredeiras.

Outro problema foi o ritmo. Muito lento. Eu consegui parar de ler o livro, começar a ler outro (que eu também não gostei, (e que espinafrei resenhei no Leitora em série) e voltar para ele. Mas não é aquele livro que você fique ansioso pra ler o final. Na verdade esse foi um que eu procurei saber o final, pra ver se sequer valia a pena.

Achei a escrita pobre e rasa. Jay Asher escreve bem, com riqueza de detalhes, e deu pra ver isso em “os treze porquês”. Mas, neste livro eu tive a sensação de ser um trabalho que ele tinha que entregar no dia seguinte, e ele fez rápido demais e sem cuidado com o enredo. E a quantidade de vezes que a Sierra fala das benditas covinhas do Caleb me fez revirar os olhos. É o equivalente à deusa interior da Anastasia Steele, para a quinta série.

É o tipo do livro bonitinho, próprio para o Natal, por causa da atmosfera toda. Muitas bengalinhas de menta, chocolate quente e presentes. Rola até foto com o bom velhinho, e uma história envolvendo troncos de pinheiro decorados. Um final de romance de banca. Tem uma ou outra gracinha, um ou outro conflito. Não chegou a me comover nem me arrancar gargalhadas. Não me deu raiva de ter comprado também.

Talvez vocês pensem: Ah, não seja tão dura. Você tem mais de 30 anos e o livro é para um público mais jovem. Mas gente, eu estou acostumada a ler livros YA. De JK Rowling a John Green. Eu praticamente só fiz resenhas de livros para um público mais jovem aqui. Neste, apesar de a protagonista ter 17 anos, parecia ser direcionado a pessoas de 12 anos. Pessoas de 12 anos que não entenderiam se eu chamasse o livro de Cigano Igor, tamanha a falta de expressão (e por ser lindo também). 
Essa denunciou a minha idade. 
Dá para levar em consideração também que os americanos são mais melindrosos no que tange às informações de cunho sexual que os filhos recebem. Parecem achar que se os filhos leem alguma cena mais quente em qualquer livro, vão querer imitar. Eu já li críticas ferrenhas a livros da Meg Cabot, só por tocarem no tema da masturbação e camisinha. Detalhe: a personagem Mia Thermopolis tinha 16 anos no livro em questão. 


Se eu recomendo? Sinceramente não daria de presente a ninguém. Mas não chega a ser ofensivo, e pode ser uma opção decente para uma pré-adolescente que você não conheça, e que goste de livros água-com-açúcar. 

Ficha técnica:
Título (ainda em inglês): What Light
Gênero: YA, que poderia ser infanto juvenil
Número de páginas: 251
Editora: Razorbill

De um a cinco chocolates quentes com menta


Beijos da Lari

28 Comentários

  1. A revista também denuncia a minha idade hahahaha mas espero que façam a tradução para o português desse livro, quero ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comprei outro livro em Inglês do Jay Asher. Espero gostar desse ahahaha bjosss

      Excluir
  2. Achei a capa linda a história é realmente um pouco lenta demais, mas achei bastante interessante a história, a Sierra ela vai além e tenta ajudar Caleb a encontrar o perdão e eles acabam descobrindo o amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc gosta desse estilo, vá.em frente. Como eu disse, não me animou, mas não chegou a dar raiva. Bjosssss

      Excluir
  3. Gostei da sinceridade na resenha, é uma pena quando um livro que vinha com tudo para dar certo, uma história bacana, de um escritor já badalado peca dessa forma e nos deixa assim, sem torcer por um personagem e com uma história tão nhé =\ fiquei curiosa mais pelo garoto, para ver qual o lado sombrio dele. Quando sair tradução, quem sabe né rs

    ResponderExcluir
  4. É difícil pensar que o cara que escreveu Os 13 Porquês é um autor de um sucesso só. Eu provavelmente irei ler o livro quando ele for traduzido aqui no Brasil, só pra ter a minha própria opinião, mas já te adianto que muito provavelmente também não vou gostar. O modo como você resenhou este livro lembrou o meu próprio modo então acho que temos gostos parecidos, o que seria muito melhor se essa resenha fosse de um livro que você amou, mas ainda assim é legal :P

    Beijos ♡
    misinwonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito dificil fazer uma resenha assim sem dar spoilers. Até pq tinha partes q dava vontade de estapear os personagens. ahahaah Que bom que gostou da resenha! Bjosss

      Excluir
  5. Bom dia, como vai?
    Gostei bastante da sua resenha, pela sua sinceridade, realmente você apontou bem os pontos positivos e negativos da história desse livro. beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, não sabia desse livro. Eu já quero ler. Amei sua resenha e a indicação foi perfeita pra mim. A história parece maravilhosa.
    Beijocas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia por sua conta e risco ahahahab Meu ponto foi justamente que eu não recomendo, rs. Mas... gosto n se discute. Bjossssss

      Excluir
  7. Também não conhecia, é uma história que gosto pois tem natal no meio que é uma época muito linda e que tem que ser comemorada junto da família e amigos queridos. Gostei bastante de saber que o autor de os 13 porquês é o mesmo que esse. Gostei muito da resenham, bjs!

    http://fabiisanto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. O conteúdo do livro não chamar minha atenção, mais a capa a capa e linda cheia de mistério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa eh a melhor parte do livro. Por isso o cigano Igor: lindo e sem expressão ahahahaha

      Excluir
  9. Minha nossa, parece que seria um livro tão bom.... acho que a curiosidade agora só fica mesmo por ser do autor Jay Asher, mas se for ler vai ser sem nenhuma expectativas! Principalmente se eu tb não tiver empatia com os personagens.... tudo fica difícil sem a empatia. E MORTA com o cigano Igor no post hehehehehehhee

    Adorei a resenha honesta!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante
    Sorteio A guerra que salvou a minha vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, crie unicórnios, n crie expectativas. :-) Que bom que gostou!!! Quis deixar as coisas mais leves um pouco...bjosss

      Excluir
  10. Essa é a primeira resenha que vejo os dois lados da moeda: vantagens e desvantagens.
    É ótimo colocar estes pontos e ser sincera e tiro meu chapéu para sua atitude.
    O livro parece ser bem diferente de 13 whys e talvez eu não goste tanto da história quanto dos 13 whys.
    Parabéns pela honestidade!

    ResponderExcluir
  11. Eu li alguns comentários, que consiste em cerca de três primeiros capítulos. Esta é uma história doce baseada na estação do Natal, esse tempo entre Ação de graças em que todos os feriados que vêm em torno do Natal. A família Sierra possui uma fazenda de árvore de Natal em Oregon, mas todos os anos em, ação de graças Sierra e sua mãe dirigem até o lote onde eles vendem suas árvores na Califórnia. Fiquei muito curiosa sobre o livro, beijo.

    ResponderExcluir
  12. Entendo perfeitamente você não ter gostado do livro :/ Acontece ás vezes comigo também. Adoro livros mais jovens. Esse livro em questão tem uma história muito boa, puxa vida, contar a história de uma menina que a família planta e vende árvores de natal é bem curioso, pena que não foi como tu gostaria.
    Vou querer ler o livro, e tirar minhas próprias conclusões, vai que eu goste né?
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  13. Gente, essa parte: "Vamos analisar as escolhas amorosas de famosas garotas de 17 anos: Ariel, Bella Swan, Buffy, Larissa... ahahahaha" eu tô morta, HASUHASUHAUSHASUAHSUSH. Euzinha sim ou claro? Bom, uma pena o livro não ter surpreendido tanto, a premissa parece ser linda já que envolve vendas de família no meu feriado favorito fora o Halloween, o Natal. O que pesa muito é que quando vão escrever algo sobre amor entre adolescentes tudo parece mega impossível de se resolver e do nada se resolve, como se fosse um passe de mágica. Relacionamento na adolescência não é facil, muitas vezes é preciso abrir mão, deveriam focar mais na realidade do que na ficção né? Acho que isso tenha sido um ponto negativo. A história foi apenas mal explorada, mas para quem está ingressando no mundo dos livros cheirosos é uma boa já que é levinho. Aí quem sabe os jovens padawans possam devorar A Coisa ou um Hellraiser né? Hahaha. Ai Lari, amo essas tuas resenhas mega sinceras e descoladas, adoro tu. ♥ Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livros cheirosos eh otimo...devia ter pensado nisso pro meu (novo) blog... Sim, é bem pra padawan mesmo. Tipo daquela idade que o Anakin mata. (n eh spoiler pq o filme eh de 2005... se n viu ta atrasada ahahahahah

      www.laryrumiantzeff.wordpress.com.br

      Excluir
  14. Olá!
    Vou aguardar ansiosa a tradução do livro hahah tenho um nível médio em inglês, mas não me arriscaria a ler kkk
    Adorei a resenha! E a premissa do livro tb!
    Beijos, Lorena

    ResponderExcluir
  15. AAAAh, Jay Asher! <3
    Já havia visto esse livros, mas a sua resenha realmente está incrível.
    Sucesso!!

    ResponderExcluir
  16. Quando as histórias dos livros se baseiam em factos reais há muito isso de não colocar o nome exacto dos locais, talvez numa tentativa de ocultar os verdadeiros intervenientes, mas eu tb sou assim, tb gosto de ler esse tipo de coisas. Parece que aproxima mais o leitor dos personagens do livro.
    Eu gosto de ler de tudo, mas ainda bem que deu o seu parecer, que assim se ele chegar aqui às livrarias, vou ter isso em conta e não comprar logo de cara! ;)

    ResponderExcluir
  17. Só o fato de ser o mesmo autor de Os 13 porquês, quando chegar por aqui vai vender feito água. É mesmo ruim quando pegamos algo e esperamos embarcar numa história e isso não acontece. Seus argumentos são bem coerentes e entendo perfeitamente a frustração com a leitura. Se os personagens não nos conquistam também não tem o que fazer. Vamos esperar esse lançamento para tirar as conclusões, já que ainda não leio inglês. Acredito que não vá demorar para sair. Ótima resenha.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  18. Olá, eu não conhecia o livro e me empolguei quando soube que é do mesmo autor de Os 13 Porquês, mas conforme fui lendo a resenha fui desempolgando kk sei lá, a história não me passou muita coisa sabe? Acho que não iria curtir, mas quem sabe eu dê uma chance futuramente ♥️

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  19. Oi! Uma capa bonita sim, mas realmente não fez meu tipo de leitura, talvez pela sua resenah que foi bem feita aliás, sei lá sabe quando você vai lendo e daí perde o interesse? O encanto acaba? Então, foi isso, beijos!

    ResponderExcluir
  20. Oi Alice! Poxa, que peninha... Devo ter visto esse livro em algum post de lançamentos do exterior, até adicionei na listinha, mas agora desanimei. Livros muito bobinhos assim tbm me irritam, rs
    E eu nem tinha reparado que era o msm autor de Os 13 porquês!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir