Olá Gnomos, tudo bem com vocês?

Estou escrevendo essa resenha em pleno final de domingo, depois de ter me emocionado muito com este livro, com essa história, com tudo. O livro em questão é o "Cada um é o que é" da Editora Vida & Consciência, parceira aqui do blog! O livro é simplesmente fantástico e aborda assuntos muito importantes como intolerância, preconceito e violência contra a mulher.

Cada um é o que é
Autora: Meire Campezzi Marques
Páginas: 304
Editora: Vida & Consciência
Nota: 💙💙💙💙💙
*Livro cedido pela Editora
SINOPSE: Cada um de nós sofre algum tipo de preconceito. Vivemos em uma sociedade cheia de normas, regras, condutas, padrões de beleza e comportamento rígidos, que nos conduzem à homogeneização, desrespeitando um dos princípios sagrados da natureza: a diversidade.
Nascemos com qualidades únicas. Temos gostos, vontades, desejos, tendências e tipos físicos distintos, justamente para aprendermos a nos aceitar incondicionalmente, o que talvez seja um dos maiores desafios impostos pela vida.
Este romance mostra que a autoaceitação é o único caminho possível para uma vida harmoniosa, equilibrada e repleta de paz e que é preciso aceitar as diferenças, entendendo que cada um se manifesta conforme seu nível de evolução, tenta fazer o melhor que pode e dá apenas o que tem. Afinal, cada um é o que é.
Paula namorou Humberto desde a sua infância e seu amor por ele apenas ia crescendo. O amor era tanto que eles decidiram se casar jovens, quando ela tinha apenas 19 anos. Os pais de Paula, Helena e Inácio, presentearam os dois com uma casa e uma oficina, onde Humberto trabalharia como mecânico. 
Mas, logo após se casarem Paula percebeu que teria uma vida complicada. O marido passou a ser violento, a espancava sem pudor e as marcas apenas ficavam mais profundas. Ele também gastava todo dinheiro que ganhava na rua, com outras mulheres e Paula se via em uma vida repleta de tristeza e medo, pois todas as noites tinha a certeza que iria dormir apenas depois de apanhar.

Para manter a mulher calada, Humberto ameaçava a vida do irmão dela, Igor. Ele já havia percebido que o irmão dela era homossexual e dizia que não admitiria isto na família dele. Paula tinha medo das ameaças, então durante anos escondeu a violência que sofria do marido, atribuindo os hematomas a baques ou arranhões. 
"A violência contra a mulher é uma covardia repugnante. Nenhuma mulher é culpada pela agressão que sofre!"

A situação já estava fora de controle, e um dia após chegar totalmente bêbado e descontrolado, Humberto espancou Paula até uma situação lastimável. A jovem foi salva por sua amiga Marta, que era policial e tinha ido até a casa deles para levar Humberto para a delegacia, o mesmo estava sendo acusado de espancar Igor, levando-o a um estado de coma.
Paula, quase teve o mesmo desfecho que Igor, mas seus sintomas foram um pouco mais leves. Enquanto isso, Igor estava na UTI tendo que lutar por sua vida.

A mãe de Paula, Helena, era uma mulher totalmente religiosa e com pensamentos retrógrados. Ela acreditava que a mulher apenas deveria fazer tudo que seu marido mandasse e que se aquilo tinha acontecido com a Paula, a culpa era exclusivamente dela, que não era uma boa esposa. Helena defendia seu genro com unhas e dentes e não conseguia ver o homem que ele era, atribuindo os hematomas da filha a baques.
Apesar das evidências apontarem para o genro, que além de espancar a mulher, também tinha levado o filho dela quase a morte, ela permanecia irredutível na defesa do mesmo.

Marta, que foi uma colega de Paula no colégio tentava convencer a amiga a denunciar Humberto, lhe garantindo proteção policial. Marta, além de policial, era uma sensitiva muito poderosa, que contava com a ajuda de seu mentor João Pedro, um espírito que irradiava luz e tinha o propósito de salvar os demais da escuridão. Muitas vezes, Marta o ajudava nas missões de resgate, seja no plano terrestre ou espiritual. 
"Na vida, as dores são passageiras! Essa dor passará!"
Paula está decidida a mudar, quer levar uma vida livre e deixar de ser a mulher que sempre se escondeu do mundo. Ela quer voltar a vida e para isso contará com a ajuda de Marta e de toda a família da policial.
Igor também quer revelar quem ele é, mas sabe que enfrentará um grande desafio: sua mãe, ela não aceitará um filho homossexual. 
Como esses dois irmãos conseguirão se libertar? Seria a mãe deles capaz de ter compaixão dentro de si e deixar seus preconceitos de lado?
Paula era uma mulher que teve a sua vida tirada de si. Como casou muito jovem, ela teve que viver para realizar os desejos do marido, se fechando em seu próprio mundo. Agora, que está pronta para alçar voos novamente, ela terá que descobrir o que gosta de fazer. Ela é uma personagem que foi muito judiada pela vida, que sofreu, mas tudo isto foi consequência de suas próprias escolhas, foi ela quem negou procurar ajuda por tanto tempo. 

Marta por sua vez, é uma mulher muito empoderada. Além de ser policial, uma profissão com poucas mulheres atuantes, ela sempre defende o que acha certo. Ela mora com seus pais na beira da praia, lugar que nasceu e criou-se. É filha de um pescador, Romeu, e de uma bordadeira com dons divinos na cozinha, Márcia. Ela também tem um irmão, o Bruno, um garoto que sempre ajuda os familiares. A família de Marta é repleta de amor, cumplicidade e tem a mente muito aberta, uma pena que este não seja o retrato da maioria das famílias brasileiras.
"As mulheres deveriam ter um alarme que soasse quando elas estivessem prestes a se apaixonar por um canalha deste tipo"
Igor, irmão de Paula, é um menino super alegre, mas apenas quando não está ao lado da mãe. Ele sonha em fazer gastronomia, quer crescer nessa área e ter uma carreira consolidada. Ele sempre teve que esconder sua sexualidade, pois sabia que não seria bem aceito por sua mãe. Ele ainda possui muito medo dela, ainda está descobrindo sua força interna.

Helena é uma mulher amarga. Ela teve uma criação rígida e por isso ainda tem preceitos do século XIX. Ela é preconceituosa ao extremo, tanto quanto a sexualidade, como com a cor da pele alheia. Acostumada a olhar as pessoas sempre com soberba, ela tem espíritos ruins lhe rodando, espíritos que consomem sua energia e refletem pensamentos obscuros a mesma.

Além dos personagens que citei, outro que merece destaque é Fernando. Ele é um policial que trabalha com Marta na delegacia da cidade. Nunca foi de se apaixonar e sempre aproveitou as turistas que iam visitar o interior do Espírito Santo. É um negão que arranca suspiros das mulheres por onde passa, um personagem delicioso e que conquista aos poucos. 
O livro aborda assuntos muito importantes como sexualidade, preconceito, violência doméstica, aceitação, depressão e superação. Você apenas vai se envolvendo com a história de cada personagem, com as suas lutas, as suas dores. Eu tenho a mente muito aberta, e todos os livros espíritas que li até hoje foram decorrentes da parceria com a Vida & Consciência, mas posso afirmar que cada vez me encanto com o assunto.

Diferente do que a maioria pensa, os livros da Editora não possuem o propósito de enfiar nada na sua cabeça ou te fazer mudar de religião, eles apenas trazem uma visão do plano espiritual e de como as coisas acontecem após o desencarne. As pessoas possuem muito medo da morte, inclusive eu, mas ela não é assustadora, é até acolhedora. Toda vez que leio algo relacionado ao tema me sinto mais leve, mais confiante, cheia de luz, seria a expressão mais adequada.
"Onde existe amor o preconceito não faz morada"
A homossexualidade é tratada com muita naturalidade no livro, como deveria ser também na sociedade. As pessoas ainda não aprenderam a respeitar o livre arbitro do outro e infelizmente as atitudes de algumas pessoas impõem medo na aceitação de outras. 
Já a violência é tratada com toda fervorosidade e problemas que ela acarreta para vítima. Nenhuma mulher é a mesma depois de passar por tantos anos de agressão, ela se fecha e pode vim a ter algo mais grave, como a depressão que vai consumindo-a. Então, ficar atenta as pessoas que sofrem este tipo de trauma é necessário, elas precisam receber apenas amor em suas vidas.

A autora abordou todos os temas muito bem e levou o leitor para uma viagem na sua reflexão. Pensar, analisar e criticar são ações que todos nós deveríamos realizar com mais frequência e sabedoria, não podemos nos fechar em uma única corrente de pensamento. 
O livro é muito bem escrito e te prende, não foi a toa que terminei a leitura em menos de um dia. A edição da Editora está impecável como sempre, as letras são confortáveis para a leitura e a capa é instigante.
"A intolerância é um caminho escorregadio, que se distancia do amor e da luz. O preconceito é a névoa que tapa nossos olhos e impede a visão da verdade. Não estamos na Terra para sermos juízes [,,,] Todos têm o direito à felicidade"
Se descobrir em meio a uma sociedade preconceituosa não é fácil. A pertubação é recorrente na maioria dos seres humanos. Se aceitar não é uma tarefa comum, ela causa incômodo, medo. Paula e Igor estão se descobrindo, se aceitando e retirando toda a culpa que achavam ter. Dois jovens que foram judiados pela vida, que tiveram que esconder quem eram e viveram alheios a alegria, que pouco era compartilhada.
A violência muda o ser humano, ela o faz ser temeroso, ela o faz se esconder dentro de si próprio. Infelizmente, as pessoas não estão prontas para o "diferente", elas preferem ser todas iguais, seguindo o mesmo padrão sem graça e sem reflexo. A sociedade ainda nutre preconceitos, preconceitos que machucam quem o sofre, preconceitos que podem acabar com vidas. 
Precisamos começar a difundir o amor ao próximo, a intolerância não pode mais ser aceita. Você pode sim continuar a ter sua opinião, desde que isto não ofenda os demais. Guarde suas palavras de ódio para você, ninguém quer ouvi-las e nem tão pouco compartilha-las. Cada um é o que é, e tem o direito de expor isso sem medo do que pode vim a ocorrer. Se aceite, aceite o próximo e vá ser feliz, a felicidade e o amor são sempre o melhor caminho...

Beijos da Lice

48 Comentários

  1. Olá! Eu também acho gnomos uma graça. Então gostei do olá gnomos.rsrs Não conhecia o livro e em autora, achei tão completa a sua resenha. Gostei bastante, e os quotes deram um charme, e junto com a resenha nos convida a ler essa obra. Também quero ler!!!
    Parabéns!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Espero que você possa ler em breve. Beijooos!

      Excluir
  2. lá tudo bem? sua resenha está maravilhosa nós puxa para a historia, assunto bem atual , que nos leva a pensar nas mudanças , na liberdade de expressão , no direito dos outros .
    reflexão . bjsss sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que minha resenha tenha lhe agradado! Bjs!

      Excluir
  3. Pela resenha dá pra sentir que o é bom, livros que abordam temas como preconceito, violência contra a mulher mexe muito com a sociedade. Infelizmente o preconceito existe e está aí no nosso meio, pessoas não respeita a vontade, a opinião do outro. O livro realmente prende o leitor, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro tem temas bem conturbadores, então consegue prender o leitor do início ao fim. Bjs!

      Excluir
  4. Oi Lice! Tudo bem? Realmente o livro aborda questões bem interessantes e se é bem escrito muito melhor <3 Não conhecia, mas gostei da indicação.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi,
      Fico feliz que tenha gostado. Espero que possa ler em breve! Bjs!

      Excluir
  5. Nossa! Comecei a ler a resenha do livro já sabendo que tratava de diversos assuntos e dentre eles a violência contra a mulher, mas fui lendo cada palavra como se fosse um soco no meu estômago. Que forte a história de Paula! Que canalha o Humberto :o e muito triste toda a situação de Igor =( é muito triste o medo que as pessoas passam por serem elas mesmas. Triste que muitas pessoas causem isso em outras! Adorei desde já a personagem da Marta e quero muito ler esse livro para cair de amores por essa mulher forte, empoderada e muito bem instruída. Parece um livro incrível. Nossa, super animei quando li que você terminou em menos de um dia! Às vezes a falta de tempo é que me faz deixar tantos livros passarem. Com esse tendo uma leitura fluída assim, já me ganhou. Vou procurar! E todos contra a violência!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história dos irmãos é realmente algo muito forte e que mexe com o leitor. A cada páginas que eu lia, era como se um peso se apossasse de mim. Infelizmente, temos que lutar todos os dias contra a violência e o preconceito! Espero que possa ler em breve! Bjs!

      Excluir

  6. Uau! Logo de início eu já pensei: “Que coisa mais rica!”
    Primeiramente, é sem dúvida um livro bem diferente do que eu esperava, pois, pela capa eu pensei ser algum livro hot por causa do bonitão. E que capa, hein? rsrs
    Segundo que falar de autoaceitação é um caminho que me enche os olhos. Porque demorou um tempinho para eu chegar a esta conclusão de que o amor próprio é a base de tudo. Mas a maturidade é uma benção!
    Estou encantada com o livro, por perceber que ele é recheado de boas histórias, com questões muito reflexivas.
    A violência contra a mullher foi uma questão que sempre me interessou e agora que estou estagiando em um centro de referência para a mulher que sofre qualquer tipo de violência, tenho visto essa realidade de perto, por isso, é algo que eu quero ajudar a combater ativamente. Seja prestando auxílio psicológico ou conscientiznado essas mulheres de que elas não podem aceitar essa situação.
    Interessante a mãe da protagonista ser religiosa, existia uma matéria que estava sendo muito veículada na rede social, que falava que 40% das mulheres que sofrem agressão, são evangélicas. Daí, o mais triste da história, eram os comentários abaixo da matéria dessas mulheres evangélicar que diziam que a família não fala mais com elas por elas terem decidido se divorciar.
    Alice, falar de amor próprio e autoaceitação é imprescindível nos dias de hoje. Muitas vezes, mulheres se relacionanm com qualquer tipo de homem por causa do medo de ficarem sozinhas.
    Sim, existe o lance do cara só demonstrar o que realmente é, muito tempo depois, mas na maioria das vezes, as mulheres aceitam determinadas situações por amor ao parceiro. E se são capazes de amar um ser que é capaz de agredi-las, é porque não se amam em primeiro lugar. Por isso é importante essa conscientização de que a pessoa deve ir em busca de descobrir suas próprias potencialidades.
    Enfim... Adorei!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eli,
      Fiquei tão feliz com o seu comentário e mais feliz ainda em perceber que você possui uma linha de pensamento bem próxima a minha. Algumas mulheres ainda se deixam sofrer agressão por medo do que a sociedade vai pensar e a tensão do futuro é outra incógnita que as perturbam fortemente, elas não querem ficar sozinha. Amor próprio é tudo na vida de uma pessoa!!!

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?
    Olha, achei a história muito forte, mostrando que só conhecemos aquela pessoa quando passamos a conviver com ela. Pobre Paula. Violência contra mulher é um assunto muito complicado. E esse Humberto é um baita de um canalha mesmo.

    "As mulheres deveriam ter um alarme que soasse quando elas estivessem prestes a se apaixonar por um canalha deste tipo"
    Isso evitaria muita coisa, não é mesmo? Evitaria muito sofrimento não só para a mulher que sofre agressão mas para a família dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Humberto é um canalha sem precedentes, mas a Paula tem um potencial enorme.
      Bem que eu queria um alarme desses, ia ser bem útil haha Bjs!

      Excluir
  8. Bom dia, como vai?
    Gostei bastante do tema abordado nesse livro, pois além de ser uma história bem marcante é daqueles que nos prende a leitura. Pois como nele aborda assuntos da atualidade e que vivemos hoje, gostei bastante de conhece-lo através de você. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é simplesmente fantástico, impossível não indicá-lo! Bjs!

      Excluir
  9. Parabéns pela resenha. Impressionada com a autora que conseguiu tratar de tantos assuntos emblemáticos ao mesmo tempo, como a violência doméstica, preconceitos, extremismo religioso e empoderamento feminino. A resenha está muito bem feita e atiçou minha curiosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Se tiver a oportunidade, leia-o!!! Bjs!

      Excluir
  10. Parece ser um livro muito bom! Acho que leria! Sua resenha também está super completinha. Parabéns! Beijos

    www.brincandodeolivia.com

    ResponderExcluir
  11. Nossa pela resenha há uma representatividade.
    Fiquei muiro curiosa e já vou procurar para ler. O fato de abordar temas como violência contra a mulher e outros tipos de preconceito, discriminação e etc já me interessou demais, obrigada por compartilhar. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada você por ler e quem sabe dar uma chance ao livro! Bjs!

      Excluir
  12. Olá!
    Parabéns pela sua resenha! Ela está completa, nos puxando para a história, imagine ler o livro? Fiquei com muita vontade de ler, e livro que flui, que nos faz esquecer da vida é maravilhoso, ainda mais abordando tantos temas atuais.
    Adorei!
    Beijos

    https://aventureirasliterarias.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  13. Oii!!
    Não conhecia esse livro ainda, mas achei a história incrível. Um tema bem atual e que eu mesma já presenciei. Fiquei bem interessada nessa leitura, acredito que será uma história que vai agregar muito para a minha vida.
    Quantas pessoas por ai não vivem do mesmo jeito que a Paula? sofrem a vida toda, até acontecer algo tão grave que não tem mais como esconder. Gostei muito da sua resenha, despertou minha curiosidade e pretendo ler com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá ! Tudo bom
    Nossa realmente parece ser uma história interessante, vários temas legais, acho muito importante abordar a violência contra as mulheres. Gostei muito de sua resenha meus parabéns.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Nossa! Estou feliz com um livro que aborde tantos temas que merecem ser debatidos. Os romances espíritas realmente são da forma que vc descreveu, não tentam enfiar nada na cabeça de ninguém, mas acredito que podemos aprender muito com eles, a valorizar a vida em cada escolha que fazemos pelo caminho. Os personagens parecem ser fortes e bem construídos. Os assuntos abordados são intensos, não só o de Paula, mas tb do irmão, e até o da mãe diante de tudo o que viveu. Fiquei muito interessado no livro e ainda não tinha lido nada sobre ele. Parabéns pela resenha, está perfeita.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  16. Olá Alice,
    Ainda não conhecia esse título da editora, mas fiquei muito contente por conhecer a obra e suas impressões, que foram ótimas. Gosto muito de livros assim e que abordam temas tão complexos como preconceitos. A obra parece ter sido muito bem construída e gostei disso.
    Vou anotar a dica, sem dúvidas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Menina eu preciso ler esse livro! Adoro seu blog incondicionalmente e isso você já sabe, sempre com resenhas fantásticas. A obra já me ganhou no título, impactante e mostra que lá vem história. O livro parece ser maravilhoso, depois de ler a sinopse e o texto da resenha, saber dos temas que são abordados, já fiquei extasiado. A princípio parece contar com personagens fortes, com histórias de vida complicada e cheias de reviravoltas. Cada um é o que é acabou de entrar na minha lista de leituras. Parabéns por essa postagem fantástica!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  18. Cada um de nós é semper sofrendo tipo de preconceito. Nossa sociedade é cheia de teorias, cada um de nós se envia melhor do que o outro. O preconceito de homem branco, negro, e gordo baixinho,homosexualismo,a população mundial é prejudicado com isso,adorei a resenha,bjs.

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?
    Não conhecia a história, é bem empolgante! de fato, só conhecemos as pessoas quando convivemos com ela. Escreve muito bem, parabéns!

    ResponderExcluir
  20. olá!
    Não conhecia este livro, a história parece ser interessante e marcada por assuntos polêmicos.
    Não aceitar as escolhas das outras pessoas é, na minha opinião, a pior falha da nossa sociedade. Violência é outro assunto que não entendo, como alguém pode se tornar tão irracional.
    A frase que mais me marcou na sua resenha: "Onde existe amor o preconceito não faz morada".
    Parabéns pela resenha!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Olá parabéns pela resenha ficou perfeita,não conhecia a história por isso quero muito muito ler esse livro com certeza é uma obra entanto,fiquei bastante empolgada com esse tema que gera muita discussão,beijinhos ótimo post

    ResponderExcluir
  22. Era eu lendo a resenha e meu coração de apertando pela personagem. Relacionamento abusivo é algo sério e deve ser tratado como algo sério também. Se uma pessoa deixa de ser ela mesma, deixa o próprio mundo em prol de outra, deixa de existir para que outra exista em seu lugar, é abusivo. Encontrar um parceiro para dividir os caminhos da vida é essencial para nós mas temos que sempre manter em mente que tem que ser saudável, que tem que ter liberdade. Se for para crescer, que sejam juntos. Só em saber que a mocinha se recupera e torna-se dona de si mesma já me fez pegar amores pelo livro. Citar o pensamento arcaico de gente como a mãe dela é essencial, a pressão começa muitas vezes dentro de casa, digo isso porque tem um filme que me lembrou muito a história do livro, Miss Violence, e acho totalmente importante nossos escritores abordarem isso para que os leitores tenham uma visão detalhada de como uma palavra carregada de ódio pode sufocar a vítima. Gente, o amor é um sentimento que ninguém explorou e tampouco controlou, ele pode ser nosso. Só temos que nos permitir sentir e entregar aos outros. Isso que eu amo no teu blog, a variedade de livros indicados, é como se a cada resenha apresentada falasse com uma fase de vida de um alguém para tal. Beijão, Lice. Sucesso.

    ResponderExcluir
  23. A resenha ficou boa mesmo, o livro aborda dois dos assuntos digamos que mais polêmicos e que ainda é cometido hoje em dia, um absurdo! Quero muito ler esse livro pra ver o desfecho dessa história.

    http://fabiisanto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. MEU DEUS!!!! Pirei com sua resenha e agora estou louca e quero muito ler este livro. Gosto muito de ler livros desse generos, são os meus preferidos na realidade. SEmpre que começo a ler parece que me transporto para outro mundo. Amei e amei sua resenha. Parabéns. Beeijos ♥

    ResponderExcluir
  25. Desde as primeiras linhas fiquei interessada principalmente pelo fato de ter temas relacionados com intolerância, preconceito e violência contra a mulher. Também senti muita pena de Paula e ainda mais sabendo da mãe que não a apoiava. E os filhos? Temas super atuais!

    ResponderExcluir
  26. Gostei da resenha, pela capa pensei logo que fosse um romance erotico e pelo que vi, não é e isso é raro, já gostei muito daí. Não conhecia a história, primeira vez que ouço falar e me simpatizei com todos os personagens. Vou colocar esse livro na minha listinha. Bjs

    ResponderExcluir
  27. Que resenha!
    Achei a história muito interessante e com pontos bem complicados. Violência contra mulher é algo que deve ser falado todos os dias.
    Não conhecia o livro e ja fiquei super curiosa! Bjooo

    ResponderExcluir
  28. Que livro em! Esses assuntos precisão ser mais falados. Mesmo sendo tão graves as pessoas acabam deixando de lado. E que cara horrível é esse Humberto. Gostei muito da sua resenha, deixou tudo bem detalhado e sem dúvidas quero ler o livro!

    ResponderExcluir
  29. Alice, que resenha!!! Que enredo forte este livro tem!! Temas bastantes densos que precisam e devem ser tratados e os criminosos presos e tratados, absurdo! Violência doméstica é um câncer na sociedade e me revolta demais.
    Agora, mulher, que mãe é essa de achar que Paula que é vitima é responsável por ser agredida, afff! O pior é que realmente existem pessoas como a mãe de Paula.
    Só achei que a capa está dissociada dos temas tratados e não reflete a profundidade do livro.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  30. De fato as pessoas não conseguem aceitar o diferente, todos parecem querer ser clones. E malvados, muito malvados. Sobre a resenha, achei maravilhosa e me interessei bastante pelo livro. Obrigada por me apresentar a obra.

    ResponderExcluir
  31. Olá, tudo bom?
    Eu gosto muito do seu blog, venho aqui sempre que posso!
    Gostei muito da resenha que você fez para o livro, parece ser uma leitura muito interessante e com muito a acrescentar a bossa vida!

    ResponderExcluir
  32. Parabéns pela resenha de um livro que aborda temas tão polêmicos assim.

    ResponderExcluir
  33. Gostei da escolha do livro e de fato os temas são tão polêmicos quanto atuais e que precisam ser discutidos! Gostei da resenha :)

    ResponderExcluir
  34. Oie amore,
    Vamos começar por essa capa que encanta qualquer mulher... OMGGG já quero com certeza!!!
    Além da capa, pelo que li em sua resenha vi que o livro traz temáticas bem interessantes... já quero ler... vou anotar a dica por aqui!
    Parabéns pela resenha!

    Beijoka!

    ResponderExcluir
  35. Oi Alice, sua linda, tudo bem?
    Preciso desabafar: é revoltante a atitude da mãe dela!!! Como pode defender o genro e ainda apresentar esses argumentos??? Infelizmente, e o que me doí, é que na vida real essas pessoas existem, tem algumas que acreditam que o divórcio não é aceitável, então a mulher tem que aguentar tudo, inclusive a violência. As mulheres ainda continuam vítimas em nossa sociedade. Isso precisa mudar. Dica mais do que anotada. Sua resenha ficou ótima!!!!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  36. Foi uma das resenhas maia completa que já li! Amei muito a forma que você abordou o livro, me fez entender um pouco mais da história e o que esperar dela. Me deu muita vontade de ler essa história, pois infelizmente isso é algo que acontece na sociedade de hoje.vou procurar esse livro é adicionar na minha lista de leitura <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  37. oi Alice
    Adorei sua resenha
    mostra que compreendeu bem o livro e sua mensagem.
    Obrigada pelo carinho,continue com esse belo trabalho com os livros,
    de uma fora indireta você acabou trabalhando também para nossos amigos espirituais.
    beijos querida Alice e a todos os seus leitores, Meire

    ResponderExcluir