Não, não é o movimento da Hermione Granger pela liberação dos Elfos.
Em Fale, romance de estreia da escritora Laurie Anderson, Melinda Sordino sofre ostracismo da escola inteira, após um incidente no verão que fez com que ela chamasse a polícia em uma festa de veteranos da escola. Devido a isso, vários colegas foram parar na cadeia. Desde então, os colegas não a perdoam. Dedo duro é o menor dos xingamentos que ela recebe em todos os corredores.  Não tem mais amigos. Ela não tem paz nem na hora do almoço. Em casa, os pais estão envolvidos com seus próprios problemas, e não percebem que a filha vem parando gradualmente de falar, até ficar completamente muda. Até que o rendimento escolar dela começa a cair, como reflexo do estado de apatia em que ela se encontra.

Isso porque Melinda se sente sufocada. Pelo incidente, pelas pessoas, pelo medo. O único momento em que ela ainda consegue se expressar é durante a aula de artes, graças ao professor e a um projeto, no qual ela tem que fazer uma árvore, ao longo do ano. Por meio desse projeto, ela tenta encontrar forças para enfrentar o que aconteceu.

Eu ouvi há um tempo, uma escritora reclamando de quando falam: Para os fãs de tal livro, ao recomendar um com uma temática parecida. “Fale!” é um bom exemplo disso. Eu poderia falar: para os fãs de “Os treze porquês”, por falar de bullying e ostracismo social.

A questão é que, apesar de eu ter amado a série “os treze porquês”, a versão literária é muito inferior a Fale. Neste último, a sensação indigesta te persegue ao longo do livro, juntamente com a agonia de não saber o que ela fez para “merecer” tal punição, já que ela apenas faz menções ao incidente, e nunca conta com todas as letras. Dá vontade de sacudir a menina e gritar: fala logo!

Quando eu leio algo sobre suicídio, isso causa um incômodo enorme. Mas em “13” o bullying que a Hannah sofre é causado pelo machismo de colegas, que foi crescendo em um efeito dominó. Em Fale, a Melinda sofre alienação social total, por parte do corpo estudantil inteiro, ao mesmo tempo. Não estou dizendo que um é mais importante do que o outro. Sem dúvida, são abordagens diferentes.

O que a Melinda sofre acontece todos os dias, em várias escolas, por motivos variados. Não só em escolas. Em casa. Um abuso, um trauma que faz com que a pessoa fique com medo de denunciar, e vai sufocando aos poucos. Às vezes, a pessoa que te fez mal mora perto, é amigo ou amiga da família. Às vezes, os maus tratos vêm da própria família. E fica difícil falar, por medo de sofrer represália. Isso acontece principalmente quando existe a possibilidade de não acreditarem na gente.

Fale não é um livro novo. Foi publicado pela primeira vez em 1999. Em 2004, deu origem a uma adaptação para um filme para a TV, “O silêncio de Melinda” estrelado pela Kristen Stewart. Sim, eu sei, a cigana Igor de Hollywood, mas juro que o filme é bom, e inclusive tem um final diferente da versão literária, com mais respostas e menos questões em aberto, justamente porque o livro é tão curtinho. E dá para ver o filme no youtube!
 Recentemente, foi traduzido e veio para o Brasil com o selo da Editora Valentina.

Meu único arrependimento com relação ao livro e ao filme foi não ter me deparado com eles antes. Saber que foi lançado em 1999, quando eu ainda estava no ensino fundamental, me fez pensar que poderia ter me ajudado, em diversos momentos da minha vida. É o tipo de livro que não oferece conforto, mas um empurrão, para que tomemos medidas contra o abuso contra a gente.

Ficha técnica:  
Título: Fale!
Gênero: Jovem adulto
Número de páginas: 247


Lari

16 Comentários

  1. Que bacana que o livro foi adaptado em filme, achei bastante interessante a trama da história. Pois temas como bullying, violência, fazem parte da nossa rotina do dia a dia. O livro além de bom serve de alerta para os jovens pra eles não sofrer sozinhos. Gostei muito o livro, fiquei bastante curiosa pelo livro e pelo livro, bjs.

    ResponderExcluir
  2. Oii, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas achei super interessante. O fato da personagem passar por todas essas coisas (xingamentos, bullying, etc) é bem passado e achei bem diferente ela começar a ficar calada, muito triste, mas entendo.
    Não sabia que havia um filme, muito menos com a Kirsten kkkk com certeza me interessei pela obra, inclusive acho importante o tema ser abordado, pois adolescentes podem ser bem cruéis e a escola é uma época que pode ser marcante por vários fatores, tanto ruins quanto bons.
    Dica super anotada.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Eu não sabia que tinha filme desse livro. E não conhecia o livro também. Parece ser bom, mas a personagem parece muito sofrida e no entanto está apenas tentando ajudar os outros. Só acho que esse livro merecia mais reconhecimento para os jovens não ficarem calados perante bullying e violência.

    ResponderExcluir
  4. nossa que historia envolvente eu fique completamente apaixonada pelo livro nao conhecia
    sua resenha esta incrivel

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto muito de livros assim, que tratam de temas muito pertinentes e que poucos realmente se importam em discutir na sociedade. É muito triste saber que situações de abuso e bullying são extremamente comuns atualmente e isso vem de muito tempo. As vezes uma conversa ajuda, mas falar é difícil. Nunca tinha visto um livro justamente com essa premissa. Fiquei muito curiosa pra ler vou tentar assistir o filme também. Parabéns pela resenha, a comparação com os treze porquês foi muito boa. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Lari! MORTA com o cigano Igor de Hollywood hahahahahahahahahah nunca tinha escutado esse lindo apelido heheheheheheh Eu ainda não li o livro, preciso me preparar psicologicamente para a trama que realmente parece ser forte!! Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Sabia que tinha o filme e achava que era de terror kkk, mas não sabia que tinha o livro e muito menos sua história que realmente retrata a realidade em que vivemos hoje em dia. Acredito que seria um bom filme para se passar nas salas de aula ou como trabalho escolar, só assim pras pessoas compreenderem que violência, bullying não são e nunca irão ser engraçados.

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Tenho muita curiosidade por este livro, este tema eu não costumava ler, mas acho importante refletir sobre.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. ola, tudo bem? o tema traz assunto de debates bem atuais como o bullying, sou mãe , sou vó e o tema me interessa bastante , saber analizar a familia mesmo vivendo uma vida corrida é quando sua resenha muito bem escrita chama mais minha atenção. vou ver o filme com certeza. bjsss

    ResponderExcluir
  10. Que história interessante! Eu já ouvi falar sobre o filme, sempre quis assistir O Silêncio de Melinda, porém nunca achei para ver. Não sabia que existia um livro e fiquei super interessada por essa história. Toda essa exclusão social que Melinda sofre parece extremamente angustiante aliado ao fato de você nem mesmo saber o porquê (ainda que não existam desculpas). Que motivação ótima para eu tomar vergonha na cara e ler o livro e depois com certeza assistir ao filme. Sem preconceitos com Kristen rs

    ResponderExcluir
  11. O tipo de livro que devemos manter em nossa memória para sempre ... Pois é um assunto sério abordado no livro o que estamos vendo no mundo exterior. Melinda sofreu tanto,é tão triste, as pessoas não sabem perdoar, e por causa de uma coisa que aconteceu, eles a mataram lentamente, essa é uma triste realidade ... Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Nossa eu não conhecia esse livro, embora ele tenha sido publicado em 1999, não tinha conhecimento a cerca dele, mas lógico que fiquei muito interessada, parece ser bem bacana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Puxa, que resenha bem feita!
    Eu li o livro há muitos anos, minha memória já está desbotada, mas ainda tenho um tanto suficiente pra perceber que a sua resenha foi muito bem estruturada. Parabéns!
    😘

    ResponderExcluir
  14. Essa história até me deu um aperto no peito...É que tive um caso de mutismo selectivo muito próximo de mim e não foi nada fácil...Vou procurar esse livro a ver se tem cá. Vou querer lê-lo, sem dúvida!

    ResponderExcluir
  15. Depois de ter lido Os 13 Porquês nunca mais li livro com essa temática, mais achei o enredo interessante.E fiquei pensando se ele ira me impactar mais que Os 13 porquês.
    Obrigado por me dar a oportunidade de conhecer esse livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Que legal! Não conhecia o livro e também não sabia do filme... vou procurar pra assistir!
    Esse tipo de tema deve ser muito abordado ate as pessoas entenderem que não pode existir nenhum tipo de violencia
    Beijoos

    ResponderExcluir